Tigela, café e xícara: diversidade formal e dinâmicas de consumo na produção das louças brancas da cidade de São Paulo no começo do século XX

  • Rafael de Abreu e Souza Universidade de São Paulo; Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia
Palavras-chave: Arqueologia Histórica, Faiança fina, Louças, Fábricas, São Paulo

Resumo

Este artigo apresenta algumas reflexões em torno das formas e volumes das louças em faiança fina produzidas, e consumidas, na cidade de São Paulo, durante o período de 1913 e 1937, relacionando-as a alguns hábitos levados a cabo na Paulicéia, como o crescente costume do "cafezinho". Para tal, parte-se das análises do acervo gerado pelo resgate do sítio arqueológico Petybon, localizado na zona metropolitana da cidade, no bairro da Lapa, região da Água Branca/Vila Romana. Aponta-se que a diversidade de formas das louças dialoga com os projetos de modernidade pensados para São Paulo e as demandas dos consumidores cujas diversas práticas culturais influenciaram na produção das faianças finas pela Fábrica de Louças Santa Catharina e Indústrias Reunidas Fábricas Matarazzo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-12-01
Como Citar
Souza, R. (2012). Tigela, café e xícara: diversidade formal e dinâmicas de consumo na produção das louças brancas da cidade de São Paulo no começo do século XX . Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 20(2), 011-051. https://doi.org/10.1590/S0101-47142012000200002
Seção
Estudos de Cultura Material