A invenção como ofício: as máquinas de preparo e benefício do café no século XIX

Autores

  • Luiz Cláudio M. Ribeiro

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142006000100005

Palavras-chave:

Café, Beneficiamento de café, Máquinas de café, Economia cafeeria, Patentes

Resumo

Aborda-se a sociedade cafeeira brasileira sob o aspecto da geração de invenções e inovações de máquinas destinadas ao preparo e benefício do café no período de 1860 a 1882. Sob a proteção da Lei de Patentes de 1830, os machinistas desenvolviam seus inventos, que eram examinados pela Sociedade Auxiliadora da Indústria Nacional (SAIN) para concessão do privilégio industrial e posterior fabricação e comercialização. Demonstra-se como as máquinas de café desenvolvidas por estes inventores-empresários no Brasil trouxeram para a fazenda cafeeira escravista a atualização tecnológica de máquinas agrícolas existentes nos países industriais e propiciaram uma melhoria de qualidade do benefício em grandes quantidades de café. Tal fato tornou possível não só a consolidação do país como maior exportador no mercado internacional, mas permitiu alterações na estrutura produtiva das fazendas escravistas.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2006-06-01

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

RIBEIRO, Luiz Cláudio M. A invenção como ofício: as máquinas de preparo e benefício do café no século XIX . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 121–165, 2006. DOI: 10.1590/S0101-47142006000100005. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5438.. Acesso em: 13 jun. 2024.