Le musée dhistoire en France entre traditions nationales et soucis identitaires

Autores

  • Dominique Poulot Université Paris I; Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales; Centre National de la Recherche Scientifique; Institution de la Culture

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142007000200021

Palavras-chave:

Museu, Patrimônio, Historiografia, Filosofia da História, Nacionalismo

Resumo

Os museus de história na França conheceram, durante as últimas décadas, rápidas mudanças marcadas por uma série de construções ou reformas. A história desses canteiros de obra, que se deu mais tarde em comparação às intervenções em outros tipos de museu, permite-nos questionar as novas relações tecidas, nessas ocasiões, entre os museus de história e a historiografia erudita. Constata-se que o museu de história é hoje mais um museu do presente do que um museu erudito, no sentido tradicional do termo. Sem se prender à nostalgia, o museu ideal deve elaborar uma nova representação do ?patrimônio?, concebendo-o como uma dinâmica inédita dentro da sociedade. O desafio consiste em recusar uma ?mercantilização? espetacular da história que exclua a abordagem crítica e erudita, combatendo, ao mesmo tempo, o possível desaparecimento da especificidade museográfica por trás do raro saber histórico à custa das reivindicações da memória social. Nessas condições, a relação entre o patrimônio e a historiografia torna-se o principal desafio para os museus de história.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Publicado

2007-12-01

Edição

Seção

Museus

Como Citar

POULOT, Dominique. Le musée d’histoire en France entre traditions nationales et soucis identitaires . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 293–316, 2007. DOI: 10.1590/S0101-47142007000200021. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5482.. Acesso em: 13 jul. 2024.