Teatro da Paz: histórias invisíveis em Belém do grão-Pará

Autores

  • Roseane Silveira de Souza Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142010000200003

Palavras-chave:

Teatro da Paz, Belém, grão-Pará, Patrimônio Histórico, História Social

Resumo

Um dos principais exemplares de arquitetura neoclássica no Brasil, o Teatro da Paz, em Belém do Pará, tem sua imagem e história bastante marcadas por uma ampla remodelação, realizada entre 1904 e 1905, quando ganhou as feições luxuosas que mantém até hoje. Essa reforma teve como efeito o ofuscamento de fatos havidos entre a construção (1869-1874), os nove primeiros anos de funcionamento (1878-1887), e sua primeira reforma (1887-1890), envolvendo maus tratos de negócios públicos, disputas de poder entre engenheiros provinciais, litígios, apropriações públicas do teatro-monumento, e a participação dos artistas Domenico de Angelis e Chrispim do Amaral nas obras de reforma. Desvelar essas histórias invisíveis, à margem da história oficial, restitui ao monumento sua dimensão humana, social.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2010-12-01

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

SOUZA, Roseane Silveira de. Teatro da Paz: histórias invisíveis em Belém do grão-Pará . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 93–121, 2010. DOI: 10.1590/S0101-47142010000200003. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5534.. Acesso em: 19 jul. 2024.