Versões do "progresso": a modernização como tema e problema do fotógrafo Militão Augusto de Azevedo

Autores

  • Íris Morais Araújo Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142010000200005

Palavras-chave:

Militão Augusto de Azevedo, fotografia, Progresso, São Paulo, Monarquia^i1^sBra, República^i1^sBra

Resumo

O artigo centra-se no legado de Militão Augusto de Azevedo (1837-1905), com o objetivo de desvendar as diferentes maneiras como esse fotógrafo representou o processo de modernização ocorrido nas últimas décadas do século XIX no Brasil e, especialmente, em São Paulo. A análise dos documentos de Militão - fotografias, cartas e um Índice das fotografias de antigos paulistas - configura uma multiplicidade de significados a respeito das transformações ocorridas na cidade de São Paulo a partir da década de 1860, e na política brasileira após a Proclamação da República. As observações da personagem a respeito de seu mundo em mudança asseveram que, menos do que coladas apenas ao "progresso", as representações do fotógrafo formam um amálgama de temporalidades desencontradas, que se imbricam e tensionam-se.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2010-12-01

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

ARAÚJO, Íris Morais. Versões do "progresso": a modernização como tema e problema do fotógrafo Militão Augusto de Azevedo . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 147–201, 2010. DOI: 10.1590/S0101-47142010000200005. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5536.. Acesso em: 21 maio. 2024.