O Museu do Estado da Bahia, entre ideais e realidades (1918 a 1959)

Autores

  • Suely Moraes Ceravolo Universidade Federal da Bahia; Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142011000100007

Palavras-chave:

História dos Museus no Brasil, Museologia na Bahia, Museu do Estado da Bahia

Resumo

O artigo revê a trajetória do Museu do Estado da Bahia de 1918 a 1959, com vistas a identificar as sucessivas práticas museológicas e o engendramento - enquanto se institucionaliza e consolida-se - dos chamados processos de musealização, que estiveram também relacionados à personalidade de gestores e de suas expectativas diante das articulações políticas e sociais, bem como de suas expectativas em relação ao estado da Bahia. Perpassado por conflitos de diversas naturezas, apontam-se as alterações em seu modo de funcionamento. No marco cronológico em foco, caracterizam-se três momentos sucessivos: o da formação como museu histórico; o de consolidação como museu eclético, com olhos voltados para a história, e o caminho em direção à arte, sob a direção de José Valladares.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2011-06-01

Edição

Seção

Museus

Como Citar

CERAVOLO, Suely Moraes. O Museu do Estado da Bahia, entre ideais e realidades (1918 a 1959) . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 189–246, 2011. DOI: 10.1590/S0101-47142011000100007. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5547.. Acesso em: 21 maio. 2024.