Reflexos da Casa de Vidro, de Philip Johnson, arquiteto, ou o processo de trabalho de Mauro Restiffe, fotógrafo

  • Agnaldo Farias Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Pintura, Fotografia e Arquitetura, Vidro na arquitetura moderna, Mauro Restiffe, Processo de trabalho na fotografia contemporânea, Série Casa de vidro

Resumo

“Série - Casa de Vidro” é um ensaio fotográfico realizado pelo artista Mauro Restiffe na Glass House, residência que o arquiteto norte-americano Philip Johnson (1906/2005) projetou para ele mesmo em 1949, em New Canaã, Connecticut, e onde viveu até o fim de sua vida. Além dessa residência demonstrar o profundo respeito de Johnson pela arquitetura do mestre moderno alemão Mies Van der Rohe, sua ampla divulgação contribuiu decisivamente para o êxito da arquitetura moderna nos Estados Unidos da América. Ao fotografála em uma única visita, Mauro Restiffe, articulou em 8 fotos e 9 imagens, a arquitetura da casa, o jardim que a circunda e a tela de Nicolas Poussin, desvendando, sem se dar conta, o jogo proposto pelo arquiteto entre a tela do artista francês e o jardim plantado no mesmo período de construção da casa. A análise dessa obra Restiffe tem como objetivos secundários a apresentação o jogo engendrado por Johnson e o processo de trabalho do artista.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-04-30
Como Citar
Farias, A. (2017). Reflexos da Casa de Vidro, de Philip Johnson, arquiteto, ou o processo de trabalho de Mauro Restiffe, fotógrafo. ARS (São Paulo), 15(29), 44-61. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2017.131497
Seção
Artigos