O beijo de Judas de Cinthia Marcelle – algumas considerações sobre a montagem de 'The family in disorder: truth or dare', exposição da artista no Modern Art Oxford

  • Patrícia Mourão Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Cinthia Marcelle, arte contemporânea brasileira, processo

Resumo

Em março de 2018, Cinthia Marcelle abriu, no Modern Art Oxford, sua primeira exposição individual fora do Brasil desde sua participação e premiação na Bienal de Veneza, em 2017. Para a montagem da exposição, o museu, a pedido da artista, convocou um grupo de seis montadores que, também sendo artistas, deveriam, depois de montar o trabalho sob a supervisão da artista, ocupá-lo, interferindo na sua forma. O presente artigo é um testemunho dessa montagem e uma análise da exposição e seu processo como uma retrospectiva da artista e um desafio a seu próprio sistema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Mourão, Universidade de São Paulo
Pós doutoranda no Programa de Pós Graduação em Artes Visuais. Mestre em comunicação e semiótica pela PUC- SP. Doutora em Meios e Processos Audiovisuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), sob orientação do Prof. Dr. Ismail Xavier com pesquisa sobre cinema experimental norte-americano e autobiografia. Curadora das mostras de cinema, entre as quais Cinema Estrutural (Caixa Cultural, 2015), Jonas Mekas (CCBB, 2013) e Harun Farocki: por uma política do olhar (Cinemateca Brasileira, 2010). Editou ou coeditou publicações sobre cineastas como Pedro Costa, Harun Fraocki, Naomi Kawase, David Perlov, Straub-Huillet e Jonas Mekas.
Publicado
2018-08-27
Como Citar
Mourão, P. (2018). O beijo de Judas de Cinthia Marcelle – algumas considerações sobre a montagem de ’The family in disorder: truth or dare’, exposição da artista no Modern Art Oxford. ARS (São Paulo), 16(33), 43-57. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2018.148147
Seção
Artigos