Jesús Soto no Pavilhão Venezuelano de 1967

o “Volume suspenso”

Palavras-chave: Jesús Soto, volume suspenso, cinetismo, Pavilhão da Venezuela de 1967, Carlos Raúl Villanueva

Resumo

Este artigo resulta da tese apresentada no VIII Mestrado em História da Arquitetura e do Urbanismo da Universidade Central da Venezuela, intitulado Villanueva e o Pavilhão da Venezuela na Expo 67: uma obra de arte total. Nele, procuramos analisar o papel de Jesús Soto na criação da escultura instalada em um dos estandes do pavilhão e detalhar sua concepção, desenvolvimento e execução, abordando, ainda, o trabalho colaborativo conduzido por Carlos Raúl Villanueva nesse processo. Por fim, propõe-se o estudo dos sentidos filosófico e artístico da ideia de modernidade e a revisão desse conceito, a fim de elucidar o modo como ele se apresenta e oculta na obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Moisés Orlando Chávez Herrera, Universidade Central da Venezuela

Moisés Orlando Chávez Herrera é Magister Scientiarium em História da Arquitetura e do Urbanismo e professor-assistente da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo na Unidad Docente Extramuros da Universidade Central da Venezuela [FAU/UCV].

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Chávez Herrera, M. (2019). Jesús Soto no Pavilhão Venezuelano de 1967. ARS (São Paulo), 17(37), 143-161. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2019.154440
Seção
Artigos