Andy Warhol e o cinema como máquina da verdade

Palavras-chave: Warhol, Andy (1928-1987), cinema de vanguarda, Arte Pop

Resumo

Em 1963, no momento em que vivia o auge de sua carreira como artista pop, Andy Warhol passou a realizar também filmes, produzindo-os em ritmo constante até 1968. Este artigo investiga as relações entre pintura e cinema na prática artística de Warhol. Propõe-se uma leitura da obra do artista com base nas noções de aparência, artifício e performance. Em seguida, veremos como essas questões são recolocadas pelos filmes, ao serem confrontadas com qualidades específicas do meio cinematográfico, como o realismo, o movimento e o tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Calac Nogueira, Universidade de São Paulo (USP), Brasil

Calac Nogueira é mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), onde desenvolveu a pesquisa “Máquina, corpo e erotismo nos filmes de Andy Warhol”. É crítico e pesquisador de cinema.

Publicado
2019-08-31
Como Citar
Nogueira, C. (2019). Andy Warhol e o cinema como máquina da verdade. ARS (São Paulo), 17(36), 175 - 190. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2019.158121
Seção
Artigos