Uma cidade grafada em luz: o cinema na crônica jornalística carioca (1894-1922)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2022.180636

Palavras-chave:

Cinema silencioso, Crônica, Cinema e literatura, Cinema e história, Rio de Janeiro

Resumo

Este artigo analisa a presença do cinema na crônica carioca publicada até 1922, procurando compreender como ele moldou o olhar dos cronistas à cidade, naqueles anos em que vielas acanhadas transformavam-se em avenidas elegantes, a convidarem a sociedade à esfera pública. Analisamos um amplo conjunto de textos cronísticos, considerando o diálogo que estabeleceram com as imagens em movimento. Nosso objetivo é levantar o arcabouço estilístico e intelectual mobilizado pelos autores deste gênero literário peculiar, situado entre a história e a literatura, no intuito de compreenderem o objeto de que tratavam. Neste sentido, consideramos tanto a abordagem do cinema enquanto temática quanto o esforço dos cronistas de forjamento de uma linguagem que procurasse mimetizar a materialidade oriunda do dispositivo fílmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danielle Crepaldi Carvalho, Programa Nacional de Apoio à Pesquisa (PNAP), Fundação Biblioteca Nacional, Brasil

Danielle Crepaldi Carvalho  desenvolve, junto à Fundação Biblioteca Nacional, um projeto de pesquisa no âmbito do Programa Nacional de Apoio à Pesquisa (PNAP) a respeito da Exposição Internacional do Centenário da Independência (1922). É Pós-doutora em Meios e Processos Audiovisuais pela ECA-USP, com pesquisa acerca dos usos dos sons no cinema silencioso, e doutora em Letras pelo Departamento de Teoria Literária da UNICAMP, com tese que investiga a relação que os cronistas brasileiros de 1894 a 1922 estabeleceram com o cinema – trabalhos realizados com apoio da FAPESP. Tem artigos e livros publicados nos âmbitos da literatura, do cinema e do teatro, seus três campos de interesse, procurando refletir sobre a sua inter-relação.

Referências

ABEL, Richard. Os perigos da Pathé ou a americanização dos primórdios do cinema americano. In CHARNEY, Leo; SCHWARTZ, Vanessa R. (orgs.). O cinema e a invenção da vida moderna / Trad. Regina Thompson. São Paulo: Cosac&Naif, 2004, pp. 215-218.

AMICIS, Edmondo de. Ultime pagine di Edmondo de Amicis – Cinematografo celebrale. In PORTINARI, Foiço; BALDISSONE, Giusi (curadoria). Opere scelte. Milano: Arnoldo Mondadori Editore, 1996, pp. 587-600, 1190-1193.

ARAÚJO, Rosa Maria Barboza de. A vocação do prazer: a cidade e a família no Rio de Janeiro republicano. Rio de Janeiro: Rocco, 1993.

ARQUIVO NACIONAL do Rio de Janeiro – Fundo Firma Marc Ferrez, FF-FMF.2.0.1.

BANDA, Daniel; MOURE, José (orgs.). Le cinéma: Naissance d’un art: Premiers écrits (1895-1920). Paris: Éditions Flammarion, 2008.

BAZIN, André. Ontologia da imagem fotográfica. In XAVIER, Ismail (org.). A experiência do cinema: antologia. Rio de Janeiro: Edições Graal: Embrafilmes, 2008 [1983].

COSTA, Flávia Cesarino. O primeiro cinema: espetáculo, narração, domesticação. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2005.

DIMAS, Antonio. Ambiguidade da crônica: literatura ou jornalismo?, Revista Littera, Rio de Janeiro, n. 12, 1974, pp. 46-9.

GAMA, Elvira. Cartas de Sinhá Miquelina e humorismos de Edisonina. Rio de Janeiro: Officinas de obras do Jornal do Brasil, 1896.

GÁRATE, Miriam V. Películas de papel/crónicas de celuloide: acerca de João do Rio, Alcântara Machado y Alberto Cavalcanti. In BONGERS, Wolfgang (org.). Prismas del cine latinoamericano. Santiago de Chile: CELICH: Editorial Cuarto Propio, 2012, pp. 65-90.

GONZAGA, Alice. Palácios e poeiras: 100 Anos de Cinemas no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Record: FUNARTE, 1996.

JOÃO DO RIO. Cinematógrafo: crônicas cariocas. Porto: Chardron, 1909.

MAGALHÃES, Raymundo. A decadência do cinema, Revista Souza Cruz, Rio de Janeiro, ano VII, n. 69-70, set.-out. 1922, n.p.

MENDES, Leonardo. O Zola da Praia Grande: Figueiredo Pimentel e o naturalismo. In PIMENTEL, Figueiredo. O Aborto / Estabelecimento de texto e organização Leonardo Mendes e Pedro P. G. Ferreira Catharina. Rio de Janeiro: Sete Letras, 2015, p. 12.

MICHAELIS. Cinematógrafo. Disponível em: <https://michaelis.uol.com.br/busca?id=AklZ>. Acesso em: 5 jan. 2021.

MORIN, Edgar. A alma do cinema. In A experiência do cinema: antologia. Rio de Janeiro: Edições Graal: Embrafilmes, 2008 [1983], pp. 145-172.

PONGETTI, Henrique. Himeneu e Talia. In Pan sem frauta: prosas de Henrique Pongetti. Rio de Janeiro: Emp. Ind. Editora O Norte, 1922, pp. 69-72.

SOUZA, José Inácio Melo. Imagens do passado: São Paulo e Rio de Janeiro nos primórdios do cinema. São Paulo: Editora SENAC São Paulo, 2003.

SÜSSEKIND, Flora. Cinematógrafo de letras. São Paulo: Cia. das Letras, 2006 [1987].

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

ZANON, Maria Cecília. A sociedade carioca da Belle Époque nas páginas do Fon-Fon!, Patrimônio e Memória, UNESP–FCLAs–CEDAP, São Paulo, v. 4, n. 2, 2009, pp. 217-235.

PERIÓDICOS

A. A. (pseud. de Arthur Azevedo). Palestra, O país, Rio de Janeiro, 24 dez. 1897, p.1.

A. A. (pseud. de Arthur Azevedo). Palestra, O país, Rio de Janeiro, 6 jul. 1899, p.1.

A. A. (pseud. de Arthur Azevedo). O Teatro, A notícia, Rio de Janeiro, 9-10 abr. 1903, p. 3

A. A. (pseud. de Arthur Azevedo). Palestra, O país, Rio de Janeiro, 3 dez. 1906, p. 1.

A. A. (pseud. de Arthur Azevedo). Palestra, O país, Rio de Janeiro, 4 mar. 1907a, p. 1.

A. A. (pseud. de Arthur Azevedo). O Teatro, A notícia, Rio de Janeiro, 12-13 dez. 1907b, p. 2.

A EXPOSIÇÃO Nacional – O Encerramento: As Festas de Ontem, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 16 nov. 1908, p. 3.

A FITA DA SEMANA: A Dama da Égua Malhada, Careta, Rio de Janeiro, ano XIV, n. 685, 6 ago. 1921, n.p.

B. (pseud. de Olavo Bilac). Registro, A notícia, Rio de Janeiro, 17-18 ago. 1904, p. 2.

BARRETO, Paulo /João do Rio. Aventura Imprevista…, O país, Rio de Janeiro, 27 jan. 1916, p. 1.

BEUDIN, Georges. Le Théâtre, La Presse, Paris, 13 jul. 1904, p. 3.

CARVALHO, Elysio de. Contra os Films Sensacionais, O imparcial, Rio de Janeiro, 29 ago. 1913, p. 11.

CINEMA-PALACE, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 28 ago. 1908, p. 6.

EDISONINA (pseud. de Elvira Gama). Kinetoscópio, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 23 dez. 1894, p. 1.

ELOY, O Herói (pseud. de Arthur Azevedo). Croniqueta, A estação, Rio de Janeiro, ano XVII, n. 18, 30 set. 1888, pp. 70-72.

FANTÁSIO (pseud. de Olavo Bilac). Kinetoscópio, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 17 dez. 1894, p. 1.

F. C. (pseud. de Figueiredo Coimbra). Diálogos, A notícia, Rio de Janeiro, 11-12 dez. 1897, p. 1.

FOCA, João (pseud. de Baptista Coelho). A cinematografomania, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 6 out. 1907a, p. 7.

FOCA, João (pseud. de Baptista Coelho). As fitas do Madureira. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 30 nov. 1907b, p. 3.

FOCA, João (pseud. de Baptista Coelho). O Madureira das fitas, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 8 dez. 1907c, p. 5.

G. (pseud. de Oscar Guanabarino). Sem Rumo (crônica semanal), Jornal do commercio, Rio de

Janeiro, 21 jun. 1896, p. 1.

JACK. A arte do silêncio, Careta, Rio de Janeiro, 24 jan. 1920a, n.p.

JACK. Arte do silêncio, Careta, Rio de Janeiro, 4 set. 1920b, n.p.

JACK. A arte do silêncio, Careta, Rio de Janeiro, 18 dez. 1920c, n.p.

JACK. Arte do silêncio, Careta, Rio de Janeiro, 25 dez. 1920d, n.p.

JOÃO DO RIO. O Velho Mercado: notícia sentida, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 16 fev. 1908, p. 5.

JOÃO DO RIO. A revolução dos Films, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 10 abr. 1909, p. 1.

JOE (pseud. de Paulo Barreto/João do Rio). Cinematógrafo, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 29 set. 1907, p. 1.

L. B. (pseud. de Lima Barreto). Amor, cinema e telefone, Careta, Rio de Janeiro, ano XIII, nº 605, 24 jan. 1920, n.p.

L. C. (pseud. de Lima Campos). Pelos sete dias, Fon-Fon, Rio de Janeiro, ano IV, n. 45, 5 nov. 1910, n.p.

O. B. (pseud. de Olavo Bilac). Crônica, Kosmos, Rio de Janeiro, ano I, n. 1, jan. 1904, n.p.

O. B. (pseud. de Olavo Bilac). Crônica, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 20 out. 1907, p. 5.

O KINETOSCÓPIO, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 15 abr. 1894, p. 1.

PIMENTEL, Figueiredo. Binóculo, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 17 fev. 1908, p. 2.

PIMENTEL, Figueiredo. Binóculo, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 16 fev. 1911, p. 3.

TEATRO Lírico. Cinematógrafo Falante, Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, 18 dez. 1904, p. 6.

TEATRO LUCINDA, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1 dez. 1907, p. 16.

TREPADOR. Trepações, Fon-Fon, Rio de Janeiro, ano IX, n. 44, 30 out. 1915, n.p.

FILMES

At the Barber Shop (1894), William K. L. Dickson, William Heise, Edison Manufacturing Company, Estados Unidos.

Cães contrabandistas/Chiens contrebandiers (1906), Georges Hatot, Pathé Frères, França.

O desertor/Le déserteur (1906), Pathé Frères, França.

Os Estranguladores do Rio (1908), Antonio Leal, Photo-Cinematografia Brasileira, Brasil.

Ladrões de Crianças/Les voleurs d’enfants (1905), Pathé Frères, França.

Sô Lotéro e Nhá Ofrasia com seus produtos à Exposição (1908), Antonio Leal, Photo-Cinematographia Brasileira, Brasil.

Les Martyrs de l’Inquisition (1905), Lucien Nonguet, Pathé Frères, França.

Viagem à Lua/Le voyage dans la lune (1902), Georges Méliès, Star-Film, França.

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

Carvalho, D. C. (2022). Uma cidade grafada em luz: o cinema na crônica jornalística carioca (1894-1922). ARS (São Paulo), 20(44), 76-132. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2022.180636

Edição

Seção

Artigos

Dados de financiamento