Do espaço cibernético à Guerra do Canaimés: imagens que ganham vida e a arte como armadilha

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2021.190679

Palavras-chave:

Crise da representação, Jaider Esbell, Donna Haraway, Espaço cibernético

Resumo

O artigo introduz algumas reflexões sobre os efeitos das interações cotidianas no ambiente cibernético, intensificadas durante a pandemia. Um deles é que a mediação constante da tecnologia na geração e arquivo de nossas memórias esteja diluindo as demarcações fixas entre seres humanos e máquinas. Propomos então um percurso especulativo através de teorias recentes, no campo da estética e da antropologia, que procuram dar conta dessas hibridizações, repensando radicalmente os dualismos centrais para o nosso pensamento (natureza e cultura, humano e não humano, masculino e feminino, o eu e o outro). Ao longo do artigo, serão abordados objetos díspares, como as perspectivas parciais da filósofa Donna Haraway e as armadilhas poéticas de Jaider Esbell, artista, ativista e escritor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Bergamaschi, Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

Alessandra Bergamaschi é pesquisadora, educadora e realizadora. Formada em Comunicação pela Universidade de Bolonha, Doutora em História da Arte pela PUC-Rio (2020), atualmente participa do programa de Pós-Doutorado em História, Crítica e Teoria da Arte da ECA-USP. Sua pesquisa sobre a historicidade e as formas da imagem em movimento inclui a programação de três edições da mostra OLHO, que adentra as relações existentes entre a produção de obras de arte em vídeo e o cinema, e a realização de trabalhos que foram expostos no Centro Cultural Hélio Oiticica (RJ), no Skanes Konstforening (Malmo, Suécia) e em programas de vídeo e festivais como o Doclisboa (Portugal), o Festival de Documentários É tudo verdade (RJ/SP) e o Cine Iberê (Fundação Iberê Camargo, PA).

Referências

BARAD, Karen. Meeting the Universe Halfway: Quantum Physics and the Entanglement of Matter and Meaning. Durham e Londres: Duke University Press, 2007.

BRAIDOTTI, Rosi. Nomadic Subjects: Embodiment and Sexual Difference in Contemporary Feminist Theory. Nova York: Columbia University Press, 1994.

COCCIA, Emanuele. A vida das plantas. Uma metafísica da mistura. Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2018.

CRARY, Jonathan. Técnicas do observador. Visão e modernidade no século XIX. São Paulo: Contraponto, 2012.

DANOWSKY, Débora; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Há mundo por vir? Ensaios sobre os medos e os fins. Florianopólis: Isa, 2014.

DE LANDA, Manuel. A Thousand Years of Nonlinear History. Nova York: Zone Books, 1997.

DOLPHIJN, Rick; VAN DER TUIN, Iris. The Transversality of New Materialism. In DOLPHIJN, Rick; VAN DER TUIN, Iris. New Materialism: Interviews & Cartographies. Ann Harbor, Michigan: Open Humanities Press, 2012. Disponível em: <https://quod.lib.umich.edu/o/ohp/11515701.0001.001/1:5.2/--new-materialism-interviews-cartographies?rgn=div2;view=fulltext>. Acesso em: 19 set. 2021.

ESBELL, Jaider. Makunaíma, o meu avó em mim!. Iluminuras, Porto Alegre, vol. 19, n. 46, pp. 11-39, jan/jul 2018.

ESBELL, Jaider. A Arte Indígena Contemporânea como armadilha para armadilhas. 9 jul. 2020a. Disponível em: http://www.jaideresbell.com.br/site/2020/07/09/a-arte-indigena-contemporanea-como-armadilha-para-armadilhas/ Acesso em: 20 set. 21.

ESBELL, Jaider. As vozes dos artistas #2: cantos Tikmu’un, programação pública 34ª Bienal de São Paulo, 26 nov. 2020b. Disponível em: https://www.facebook.com/bienalsaopaulo/videos/399100317809611/. Acesso em: 15 ago. 2021.

ESBELL, Jaider. Na sociedade indígena, todos são artistas. [Entrevista]. Arte & Ensaios, PPGAV-UFRJ, vol. 27, n. 41, pp. 14-48, jan-jun 2021a.

ESBELL, Jaider. Ruku. Texto curatorial da mostra "Apresentação: Ruku", Anexo Millan, São Paulo, 2021b.

FOSTER, Hal. O que vem depois da farsa? Arte e crítica em tempos de debacle. São Paulo: UBU, 2021.

FRANKE, Anselm. Animism: Notes on an Exhibition, e-flux journal, n. 36, jul. 2012.

FREUD, Sigmund. O inquietante. In FREUD, Sigmund. Freud (1917-1920) "O Homem dos lobos" e outros textos - Obras Completas, vol. 14 . São Paulo: Companhia das Letras, 2010, pp. 328-376.

FREUD, Sigmund. Totem e tabu. In FREUD, Sigmund. Freud (1912-1914) Totem e tabu, contribuição à história do movimento psicanalítico e outros textos - Obras Completas, vol. 11. São Paulo: Companhia das Letras, 2012, pp. 7-176.

GOLDSTEIN, Ilana Seltzer. Arte indígena como conexão. In TERENA, Naine (curadoria). Vexoá: nós sabemos. Catálogo de exposição. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2020.

HARAWAY, Donna. Manifesto ciborgue: Ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. In HARAWAY, Donna. Antropologia do ciborgue. As vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, pp. 33-118.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu, Campinas, n. 5, p. 18, 2009, pp. 7-41. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1773. Acesso em: 2 abr. 2021.

HARMAN, Graham. Object‑Oriented Ontology: A New Theory of Everything. Londres: Penguin, 2018.

INGOLD, Tim. The Perception of the Environment. Essays on Livelihood Dwelling and Skill. Abingdon: Routledge, 2000.

INGOLD, Tim. Being Alive: Essays on Movement, Knowledge and Description. Nova York: Routledge, 2011.

JAMESON, Fredric. Pós-modernismo. A lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1996.

LAGROU, Els. A fluidez da forma: arte, alteridade e agência em uma sociedade amazônica. Rio de Janeiro: TopBooks, 2007.

LAGROU, Els. Entre xamãs e artistas: entrevista com Els Lagrou. revista USINA, n. 20, jul. 2015. Disponível em: https://revistausina.com/20-edicao/entrevista-com-els-lagrou/. Acesso em: 11 set. 2021.

LATOUR, Bruno, Jamais fomos modernos. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994.

LONGO, Celso. Entre a poética do frágil e a resistência: abordagens gráficas e estratégias de comunicação na vanguarda brasileira dos anos 1960. In RIBEIRO, José Augusto (org.). Vanguarda brasileira dos anos 1960 – Coleção Roger Wright. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2017, pp. 133-155.

MASSUMI, Brian. The Thinking-Feeling of What Happens. In MULDER, Arjen; BROUWER (eds.). Interact or die! Roterdão: NAi Publishers e V2_Publishing, 2007, pp. 70-91.

MEILLASSOUX, Quentin. After Finitude: An Essay on the Necessity of Contingency. Nova York: Continuum, 2008.

MORTON, Timothy. Hyperobjects: Philosophy and Ecology after the End of the World. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2013.

RIVETTI, Lara. Everything and Nothing: comentários sobre a obra de Antônio Dias entre 1968 e 1971. ARS (São Paulo), vol. 17, n. 37, 2019, pp. 75-103.

SENRA, Stella. Conversações em Watoriki, Das passagens de imagens às imagens de passagem: captando o audiovisual do xamanismo. Cadernos de subjetividade, Núcleo de Estudos e Pesquisas da Subjetividade, PUC/São Paulo, ano 8, n. 13, out. 2011, pp. 55-77.

SHAVIRO, Steven. Post Cinematic Affect. Ropley: Zero Books, 2010.

SILVA, Diogo; BALTAR, Paula. O antinarciso no século XXI – A questão ontológica na filosofia e na antropologia. Revista Crítica de Ciências Sociais, Universidade de Coimbra, n. 123, 2020, pp. 143-166.

STEYERL, Hito. A Sea of Data: Apophenia and Pattern (Mis-)Recognition. In STEYERL, Hito. Duty Free Art: Art in the Age of Planetary Civil War. Londres: Verso, 2017, pp. 88-114.

TSING, Anna. The Mushroom at the End of the World: On the Possibility of Life in Capitalist Ruins. Princeton University Press, 2021.

VALENTIM, Marco Antonio. Extramundanidade e Sobrenatureza. Florianópolis: Cultura e Barbárie Editora, 2018.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo, A inconstância da alma selvagem e outros ensaios de antropologia. 2ª ed. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

ŽIŽEK, Slavoj, Elementos para uma crítica do “novo materialismo”. Ou, mais além de Latour, de volta a Hegel / trad. Grupo de Estudos em Antropologia Crítica. Máquina Crísica - Grupo de Estudos em Antropologia Crítica (MC-GEAC). 29 mar. 2017. Disponível em: <https://maquinacrisica.org/2017/03/29/elementos-para-uma-critica-do-novo-materialismo-ou-mais-alem-de-latour-de-volta-a-hegel/#_ftnref3> . Acesso em: set. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

Bergamaschi, A. (2021). Do espaço cibernético à Guerra do Canaimés: imagens que ganham vida e a arte como armadilha. ARS (São Paulo), 19(43), 68-115. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2021.190679

Edição

Seção

Artigos