Arte urbana, arte contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2023.192205

Palavras-chave:

Arte urbana, Arte contemporânea, Grafite, Transliteração estética, Curadoria

Resumo

A forma estética originária do grafite e pixação – desenho/inscrição/assinatura – é sensivelmente tributária de seus imperativos performáticos sobre o território – driblar e superar os dispositivos de vigilância e disciplina da cidade. O processo de reconhecimento do grafite e da pixação nos museus e galerias tradicionais, via estratégias de transliteração estética, absorve esse duplo registro da linguagem, que se realiza não apenas no traço efetivamente grafitado – a imagem –, mas inclusive no desenvolvimento da ação de grafitar – a performance. Nesse sentido, as exposições de arte urbana elaboram projetos de curadoria que restituem às imagens, ainda que expostas no abrigo institucional, sua natureza agencial sobre o território, fazendo do grafite não um gênero alternativo de pintura, mas trânsito estético entre linguagens contemporâneas.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Felipe Eduardo Lázaro Braga, Universidade de São Paulo

    Felipe Eduardo Lázaro Braga é filósofo, cursa pós-graduação na Universidade de São Paulo (USP) no programa de Sociologia. Escreve sobre arte urbana, política e matemática, e já publicou textos em  revistas literárias (Pixé, SubVersa, Desenredos), portais de política (Justificando, Caos Filosófico, Revista Híbrida, Money Times, Público), antologias (OFF-Flip) e jornais impressos (O Estado de São Paulo). É autor de testoste-TRIP (Kotter, 2023).

Referências

BAUDRILLARD, Jean. Kool Killer ou A insurreição pelos signos. Revista Cine Olho nº 5/6, jun/jul/ago 1979.

CAVERSAN, Luiz. Mostras na Pinacoteca esclarecem duas “radicalidades” da fotografia. Folha de São Paulo. São Paulo, 22 mai. 2004. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2205200424.htm. Acesso em: 13 out. 2021.

CCSP. Cartograffiti. Catálogo de exposição. Centro Cultural São Paulo, São Paulo, 2015.

DIEGO, Jesus. Graffiti. La palabra y la imagen. Barcelona: Los libros de la frontera, 2000.

EXPOSIÇÕES. Folha de São Paulo. São Paulo, 28 dez. 2007. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/guia/ex2812200700.shtml. Acesso em: 14 out. 2021.

EXPOSIÇÕES. Folha de São Paulo. São Paulo, 2 nov. 2012. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/guia/ca0211201201.shtml. Acesso em: 14 out. 2021.

FERREL, Jeff Foreword: Graffiti, Street Art and the Politics of Complexity. In ROSS, Jeffrey Ian. Routledge Handbook of Graffiti and Street Art. Nova York: Routledge, 2016.

FUNARTE. Da rua: que pintura é essa? Catálogo de exposição Fundação Nacional das Artes, São Paulo, 2009.

GRAFITE ganha exposição e debate. Folha de São Paulo. São Paulo, 25 mai. 2005. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/acontece/ac2505200503.htm. Acesso em: 14 out. 2021.

MAB-FAAP. Vertigem. Catálogo de exposição. Museu de Arte Brasileira, Fundação Armando Álvares Penteado, São Paulo, 2009.

MAC-USP. Street Art – Do grafite à pintura. Catálogo de exposição. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

MAM. Alex Vallauri: São Paulo e Nova York como suporte. Catálogo de exposição. Museu de Arte Moderna de São Paulo, São Paulo, 2013.

MARTÍ, Silas. Americanos adaptam arte de rua para exposição dentro da galeria. Folha de São Paulo. São Paulo, 19 jan. 2009. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2009/01/491612-americanos-adaptam-arte-de-rua-para-exposicao-dentro-de-galeria.shtml?origin=folha. Acessoem: 14 out. 2021.

MASC. Rupta. Catálogo de exposição. Museu de Arte de Santa Catarina, Florianópolis, 1994.

MASP. De dentro e de fora/ De fora para dentro. Catálogo de exposição. Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, São Paulo, 2009.

MASSOTE, Clara; RAGO, Laura; GROGORIO, Rafael. Confira roteiros grátis ou até R$ 25 para curtir neste feriado. Folha de São Paulo. São Paulo, 24 jan. 2012. Disponível em: https://guia.folha.uol.com.br/passeios/1038497-confira-roteiros-gratis-ou-ate-r-25-para-curtir-neste-feriado.shtml. Acesso em: 14 out. 2021.

McCARTHY, David Arte Pop / trad. Otacílio Nunes. São Paulo: Editora Cosac & Naify, 2002.

MUSEU AFROBRASIL. Território ocupado. Catálogo de exposição. Museu AfroBrasil, São Paulo, 2007.

MUSEU atesta pluralidade fotográfica. Folha de São Paulo. São Paulo, 7 ago. 2004. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq0708200421.htm. Acesso em: 13 out. 2021.

NOVAES, Tereza. Mulher pelada “para” o trânsito nas ruas de São Paulo. Folha de São Paulo. São Paulo, 3 fev. 2006. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq0302200627.htm Acesso em: 14 out. 2021.

WACLAWEK, Anna Graffiti and Street Art. London: Thames & Hudson Ltd, 2011.

Downloads

Publicado

2023-08-31

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

Dados de financiamento