[1]
F. A. de Almeida, “Imagens de tempo em Bill Viola: interpelações existenciais diante do nada”, ARS, vol. 18, nº 40, p. 237-288, dez. 2020.