[1]
I. F. Loures, “William Blake contra os "moinhos satânicos" da racionalidade moderna”, ARS, vol. 19, nº 43, p. 462-507, dez. 2021.