Aos nossos inimigos. Reflexões sobre o público

  • Óscar Cornago CSIC-Madrid
Palavras-chave: Público, Performance, Revolução social, Estética, Dispositivo.

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de estudar a construção do público, entendido como os interlocutores em ação, a partir de duas histórias diferentes. A primeira consiste em uma conversação improvisada da dupla de performers Los Torreznos, em La caverna (2012), que tinha o público como seu objeto de observação; e a outra é extraída da análise que o Comité Invisible fez sobre o movimento de ocupação das praças, ocorrido em diferentes cidades do mundo desde 2008. O objetivo é confrontar duas abordagens diferentes do público – cênica e estética, por um lado, e social e política, por outro – e traçar um caminho de ida e volta entre a cena e a rua, considerando ambos os espaços como dispositivos de ação e de representação procurando operar de outras maneiras ante a ordem política e econômica, reforçada desde a década de 1990.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Óscar Cornago, CSIC-Madrid

Investigador del Centro de Ciencias Humanas y Sociales del Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC) de Madrid, escritor, ha estudiado y documentado la obra de artistas de la escena contemporánea en España y Latinoamérica en volúmenes como Políticas de la palabra, Éticas del cuerpo y Acercamientos a lo real 

Referências

COMITÉ INVISIBLE. A nuestros amigos. Trad. Vicente E. Barbarroja, León Barrera y Ricardo I. Fiori. Logroño, España: Pepitas de calabaza y Surplus, 2015.

FERNÁNDEZ-SAVATER, A. La piel y el teatro. Salir de la política. El diario.es, 16 oct. 2015. Disponible en: <http://www.eldiario.es/interferencias/piel-teatro-Salir-politica_6_442065819.html>. Consultado el: 23 abr. 2016.

Publicado
2016-06-30
Como Citar
Cornago, Óscar. (2016). Aos nossos inimigos. Reflexões sobre o público. Revista Aspas, 6(1), 7-42. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/aspas/article/view/115261