Rastros metodológicos para poéticas híbridas: da crítica genética, entre provocações (auto)etnográficas, à cartografia

Autores

  • Vinícius Lírio Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v7i2p126-137

Palavras-chave:

Autoetnografia, Etnografia, Método cartográfico, Pesquisa em artes cênicas.

Resumo

Este estudo apresenta uma rede de rastros das abordagens metodológicas utilizadas pelo autor em suas pesquisas de mestrado e doutorado e na sua atual investigação. Estas têm em comum o fato de partirem de processos criativos no teatro contemporâneo. Articulam-se, aqui, princípios da Crítica Genética, das abordagens etnográfica e autoetnográfica e do método cartográfico. A partir da sistematização dessa trama, busca-se compartilhar possíveis caminhos, seus rastros e as articulações destes na atual pesquisa do autor, no sentido de mapear poéticas híbridas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinícius Lírio, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Artes Cênicas (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Artes Cênicas (2011) e graduado em Licenciatura em Teatro (2005) pela UFBA. Atualmente, é professor adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), atuando nos cursos de Licenciatura em Teatro, Pedagogia e no Mestrado Profissional Educação e Docência (Promestre). Encenador e ator.

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. 12. ed. Campinas: Papirus, 2005.

CANDEIAS, M. L. A cartografia como possibilidade para uma aproximação entre produção artística, crítica e academia. Revista Moringa, João Pessoa, v. 7, n. 1, p. 65-79, 2016.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: Capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 2000.

FORTIN, S. Contribuições da etnografia e auto-etnografia para a pesquisa na prática artística. Tradução Helena Mello. Cena, Porto Alegre, n. 7, p. 77-88, 2009.

LÍRIO, V. S. Da névoa ao límpido: pistas sobre o processo de pesquisa em Artes Cênicas. In: CONGRESSO DA ABRACE, 6., 2010, São Paulo. Anais… São Paulo: Abrace, 2010. Disponível em: https://goo.gl/QAVokd. Acesso em: 5 set. 2017.

______. Poéticas Híbridas: Bando de Teatro Olodum + Butô de Tadashi Endo nos entre-lugares da criação cênica. 2014. 270 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

MACEDO DE SÁ, S. M. Povos indígenas em afirmação, caminhos etnográficos aprendentes e a compreensão cultural de fenômeno aprender. In.: MACEDO, R. S. A etnopesquisa implicada: pertencimento, criação de saberes e afirmação. Brasília, DF: Liber Livro, 2012. p. 75-86.

MACHADO, M. M. O “Diário de Bordo” como ferramenta fenomenológica para o pesquisador em Artes Cênicas. Sala Preta, São Paulo, v. 2, p. 260-263, 2002.

______. Mapeie-se! E busque de modos criativos de ser e estar no mundo para relacionar-se com a artisticidade das crianças. Teatro: Criação e Construção de Conhecimento, [S.l.], v. 4, n. 5, p. 14-22, 2016. Disponível em: https://goo.gl/Q81LdS. Acesso em: 6 fev. 2017.

MATERNO, A. O olho e a névoa: considerações sobre a teoria do teatro. Sala Preta, São Paulo, n. 3, p. 31-41, 2003.

PASSOS, E.; BARROS, R. B. Pista 1: A Cartografia como método de pesquisa-intervenção. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (orgs.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-investigação e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015. p. 17-31.

REED-DANAHAY, D. Auto/ethnography: rewriting the self and the social. Oxford: Berg, 1997.

SALLES, C. A. Crítica genética: fundamentos dos estudos genéticos sobre o processo de criação artística. 3. ed. rev. São Paulo: Educ, 2008.

______. Gesto inacabado: processo de criação artística. 4. ed. São Paulo: Annablume, 2009.

VERSIANI, D. B. Autoetnografias: conceitos alternativos em construção. Rio de Janeiro: 7letras, 2005.

Downloads

Publicado

2018-05-04

Como Citar

Lírio, V. (2018). Rastros metodológicos para poéticas híbridas: da crítica genética, entre provocações (auto)etnográficas, à cartografia. Revista Aspas, 7(2), 126-137. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v7i2p126-137