Acompanhamento de processos de criação: algumas reflexões

Autores

  • Cecília Almeida Salles Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v7i2p27-39

Palavras-chave:

Processo de criação, Crítica de processo, Acompanhamento.

Resumo

O objetivo deste artigo é propor algumas reflexões sobre a metodologia de pesquisa no acompanhamento de processos cênicos, no âmbito dos estudos sobre processo de criação. É apresentado um histórico do desenvolvimento de tais pesquisas, no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, que passaram a oferecer uma abordagem crítica de processo para a produção artística. De modo mais específico, são apresentados alguns possíveis propósitos, contextos de acompanhamentos e formas de registros das observações, a partir de alguns exemplos. E por fim são propostos alguns caminhos, diante dos questionamentos relativos à fundamentação teórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cecília Almeida Salles, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Professora titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Processos de Criação. Autora dos livros Gesto Inacabado (1998), Crítica Genética (2008), Redes da Criação (2006), Arquivos de Criação: arte e curadoria (2010) e Processos de criação em grupo: diálogos (2017).

Referências

ARRIGONI, R. O. B. O espaço comunicativo no teatro do Satyros: o ator e o espectador. 2006. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2006.

COLAPIETRO, V. M. Peirce e a abordagem do self: uma perspectiva semiótica sobre a subjetividade humana. São Paulo: Intermeios, 2014.

LORD, J. Um retrato de Giacometti. Tradução Célia Euvaldo. São Paulo: Iluminuras, 1998.

LOTMAN, I. La semiosfera II: semiótica de la cultura, del texto, de la conducta y del espacio. Selección y traducción Desiderio Navarro. Madrid: Cátedra, 1998.

MORIN, E. O método 4: as ideias – habitat, vida, costumes, organização. Porto Alegre: Sulinas, 1998.

MUSSO, P. A filosofia da rede. In: PARENTE, A. (org.) Tramas da rede: novas dimensões filosóficas, estéticas e políticas da comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2004. p. 17-38.

PEIRCE, C. S. Collected papers of Charles Sanders Peirce. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1931-1935. 8 v.

SALLES, C. A. Redes da criação: construção da obra de arte. Vinhedo: Horizonte, 2006.

______. Crítica genética: fundamentos dos estudos genéticos sobre o processo de criação artística. 3. ed. São Paulo: Educ, 2008.

______. Gesto inacabado: processo de criação artística. 5. ed. São Paulo: Intermeios, 2011.

______. Processos de criação em grupo: diálogos. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2017.

TOLEDO, A. M. Novas configurações da direção teatral. 2011. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2011.

VILLAS BOAS, M. Aspectos comunicacionais dos processos coletivos: um estudo de caso na dança. 2004. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2004.

Publicado

2018-05-04

Como Citar

Salles, C. A. (2018). Acompanhamento de processos de criação: algumas reflexões. Revista Aspas, 7(2), 27-39. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v7i2p27-39