Observação participante do processo de ensaio: considerações práticas e dilemas éticos

Autores

  • Gay McAuley Royal Holloway University of London

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v7i2p10-26

Palavras-chave:

Estudos da performance, estudos de ensaio, observação participante, teatro colaborativo, etnografia.

Resumo

Observação e análise do processo de ensaio praticado na Universidade de Sydney. Comparação com a genética do teatro. Relato histórico do desenvolvimento do modelo de Sydney, baseado na colaboração com artistas de teatro profissionais. Objetivos da pesquisa: reforçar a apreciação da mise-en-scène, insights sobre os processos de criatividade do grupo. Conceitos e abordagens metodológicas emprestadas da etnografia e aplicadas ao estudo do ensaio: campo e trabalho de campo, observação participante/não participante, sociabilidade do grupo, insiders e outsiders, prestar atenção às palavras usadas, descrição densa. O artigo conclui com observações relativas à agência criativa na prática de ensaio e a natureza da criatividade do grupo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gay McAuley, Royal Holloway University of London

Gay McAuley lecionou teatro e cinema no Departamento de Francês da Universidade de Sydney antes de participar da fundação do centro interdisciplinar Estudos da Performance na Universidade de Sydney em 1989. Ao longo das décadas de 1970 e 1980, trabalhou em Sydney para estabelecer formas de colaboração entre acadêmicos e profissionais de teatro para fins de pesquisa e ensino, sendo pioneira na aplicação de metodologias etnográficas para o estudo do processo de ensaio na década de 1990. Seus livros Space in Performance (Michigan University Press, 1999) e Not Magic But Work (Manchester University Press, 2012) ganharam o prêmio Rob Jordan da ADSA em seus respectivos anos de publicação. Desde que parou de lecionar em 2002, editou seis edições de About Performance (2003-2010), convocou um grupo de pesquisa interdisciplinar e editou a coleção de ensaios nascida do trabalho do grupo (Unstable Ground: Performance and the Politics Place, Peter Lang, 2006), e fez parte de vários projetos de tradução. Ela vive atualmente em Londres, onde é Pós-Doutora honorária no Departamento de Drama e Teatro da Universidade Royal Holloway.

Referências

ATKINSON, P. Performance and rehearsal: the ethnographer at the opera. In: SEAL, C.; GOBO, G.; GUBBIUM, J.; SILVERMAN, D. (ed.). Qualitative research practice. London: Sage Publications, 2004. p. 94-106.

CLIFFORD, J. Introduction: partial truths. In: CLIFFORD, J.; MARCUS, G. (ed.). Writing culture: the poetics and politics of ethnography. Berkeley; London: University of California Press, 1986. p. 1-26.

______. The predicament of culture: twentieth century ethnography, literature and art. Cambridge: Harvard University Press, 1988.

CRAMPHORN, R. Professional Stocktaking Document. 1985. In: MAXWELL, I. (ed.). A raffish experiment: the selected writings of Rex Cramphorn. Sydney: Currency Press, 2009. p. 291.

GEERTZ, C. Thick description: toward an interpretive theory of culture. In: ______. The interpretation of cultures. New York: Basic Books, 1973. p. 3-30.

GOFFMAN, E. Frame analysis: an essay on the organisation of experience. Boston: Northeastern University Press, 1986.

KNOWLES, R. Reading the material theatre. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

MARSHALL, N. The producer and the play. London: Macdonald, 1957.

MCAULEY, G. Space in performance: making meaning in the theatre. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1999.

MEAD, M. The art and technology of fieldwork. In: NAROLL, R.; COHEN, R. (ed.). A handbook of method in cultural anthropology. New York; London: Columbia University Press, 1973. p. 246-65.

Publicado

2018-05-09

Como Citar

McAuley, G. (2018). Observação participante do processo de ensaio: considerações práticas e dilemas éticos. Revista Aspas, 7(2), 10-26. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v7i2p10-26