Formas e funções das políticas públicas brasileiras para a cultura: uma reflexão a partir do modelo de publicização do Programa Fábricas de Cultura

Autores

  • Natacha Dias Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v9i2p162-178

Palavras-chave:

Políticas públicas, Publicização, Organização social

Resumo

O artigo propõe uma reflexão sobre os modelos de políticas públicas culturais adotados historicamente pelos gestores do Estado brasileiro, com foco especial no modelo de publicização aplicado ao Programa Fábricas de Cultura. A partir de uma metodologia qualitativa, de viés documental, reflete sobre os eventos da greve de artistas-educadores e ocupação de aprendizes do Programa, em 2016, propondo uma análise sobre a relação entre os modos de condução dessa crise pela OS gestora na ocasião e os discursos sociais a ela intrínsecos, à luz dos princípios básicos da administração pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natacha Dias, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Doutoranda da Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP na área de pesquisa Técnicas e Processos de Formação do Artista da Cena, sob orientação do Dr. Marcelo Lazzaratto e especialista em Gestão Pública pela Universidade Federal de São Paulo/UNIFESP.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

Dias, N. (2019). Formas e funções das políticas públicas brasileiras para a cultura: uma reflexão a partir do modelo de publicização do Programa Fábricas de Cultura. Revista Aspas, 9(2), 162-178. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v9i2p162-178