A biblioteca escolar Enfermeira Zélia Maria Teixeira Cavalcante e a educação permanente em saúde: recurso didático-pedagógico

Autores

  • Gabriela Crispim da Silva Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas
  • Maria Rejane Silva Barros Faculdade Venda Nova do Imigrante https://orcid.org/0000-0002-8812-6622
  • Francisca Rosaline Leite Mota Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-5894.berev.2021.162223

Palavras-chave:

Biblioteca escolar, Curriculo, Educação permanente, Estratégias de aprendizagem

Resumo

Analisa a Biblioteca Escolar Enfermeira Zélia Maria Teixeira Cavalcante enquanto recurso didático-pedagógico em sala de aula do Centro de Ensino Profissionalizante “Escola Técnica de Saúde Professora Valéria Hora (ETSAL)” da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). A Escola Valéria Hora oferta cursos nos níveis fundamental e médio (ensino técnico multiprofissional na saúde), através das instâncias gestoras da Política Nacional e Estadual de Educação para a Saúde em Alagoas. Inicialmente as atividades da escola atendiam as demandas da comunidade através de processo seletivo anual, cuja proposta pedagógica é feita por disciplina. Discussões sobre a Política de Educação em Saúde no estado; tornou a ETSAL integrante da Rede de Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (RETSUS), criada pelo Ministério da Saúde. Sua participação na rede modificou a estrutura física e administrativa com a proposta formativa para alunos/trabalhadores do Sistema Único de Saúde. Os cursos passaram a ser ofertados nos 102 municípios alagoanos (descentralizados) e migraram da metodologia tradicional de ensino para metodologia ativa de aprendizagem com a prática de ensino por problematização e estudo de caso e estrutura organizada por currículo integrado. O objetivo do estudo é verificar as nuances que envolvem o setor administrativo e a biblioteca como um elemento importante para a construção da subjetividade do estudante. O percurso metodológico adotou como tipo de pesquisa o estudo de caso, tendo como instrumento para a coleta de dados a observação direta participante. Os resultados apontam para a inexistência de um diálogo efetivo entre os atores envolvidos nas práticas pedagógicas da escola de modo a inserir a biblioteca no currículo escolar. Além disto, foi possível observar que a atuação da biblioteca é mínima no projeto político-pedagógico, o acervo é inadequado, inexistem recursos tecnológicos e infraestrutura adequada, a frequência de usuários esporádica e, ainda, não possui bibliotecário. Conclui que no âmbito dos cursos descentralizados é necessário trabalhar também com a Biblioteca Virtual em Educação Permanente em Saúde e a inclusão de um referencial bibliográfico que remeta ao acervo físico, virtual ou misto para atender as demandas informacionais dos cursos na prática de ensino-aprendizagem em sala de aula. Por fim, considera que os materiais utilizados pelos instrutores e pelos alunos devem utilizar fontes de pesquisas científicas com critérios de qualidade nos campos de integração ensino-trabalho-comunidade, tornando a Biblioteca Escolar Enfermeira Zélia Maria Teixeira Cavalcante mais uma ferramenta pedagógica importante na aquisição e disseminação da informação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Crispim da Silva, Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

Bibliotecária – Documentalista da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas – Uncisal, Brasil.

Pós-Graduanda em Biblioteconomia e Gestão de Bibliotecas Escolares pela Faculdade Venda Nova do Imigrante, campus Venda Nova do Imigrante, Brasil.

Maria Rejane Silva Barros, Faculdade Venda Nova do Imigrante

Pós-graduada em Biblioteconomia pela Faculdade Venda Nova do Imigrante, Brasil.

Bibliotecária – Documentalista

Francisca Rosaline Leite Mota, Universidade Federal de Alagoas

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Brasil.

Professora Associada no curso de Biblioteconomia e do Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Alagoas – UFAL, Brasil

Pesquisadora na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas – FAPEAL, Brasil

Referências

ALAGOAS. Conselho Estadual de Educação. Câmara de Educação Profissional. Resolução nº 029/2016-CEE-AL. Dispõe sobre a regulamentação da oferta de cursos e programas de educação profissional e tecnológica, no Sistema Estadual de Ensino do Estado de Alagoas. Diário Oficial [do] Estado de Alagoas (DOEAL), 26 de janeiro de 2017, p. 75. Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/diarios/134446556/doeal-poder-executivo-17-01-2017-pg-79. Acesso em: 09 maio 2017.

ALAGOAS. Universidade Estadual de Ciências da Saúde. Escola Técnica de Saúde Profª. Valéria Hora – ETSAL. Plano de curso: curso técnico radiologia. Maceió, 2013. Disponível em: https://concursopublico.uncisal.edu.br/files/11/Plano%20de%20Curso%20-%20T%C3%A9cnico%20em%20Radiologia.pdf. Acesso em: 03 jan. 2019.

ANDRADE, Eugênia Albino. A biblioteca faz a diferença. In: CAMPELLO, Bernadete Santos (org.). A biblioteca escolar: temas para uma prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

BORDENAVE, Juan Díaz; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino-aprendizagem. 24. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituição.htm. Acesso em: 16 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem. Profissionalização de auxiliares de enfermagem: cadernos do aluno: saúde da mulher, da criança e do adolescente. Brasília: Ministério da Saúde; Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003. 160p.

Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/profae/pae_cad8.pdf. Acesso em: 19 set. 2018.

BRASIL. Lei n. 12.244, de 24 de maio de 2010. Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País. Brasília, 2010.

CAMPELLO, Bernadete Santos (org.). A biblioteca escolar: temas para uma prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

CAMPELLO, Bernadete Santos. Letramento informacional: função educativa do bibliotecário na escola. Rio de janeiro: Autêntica, 2009.

CÔRTE, Adelaide Ramos e; BANDEIRA, Suelena Pinto. Biblioteca escolar. Brasília: Briquet de Lemos, 2011.

COSTA, Leila Cristina Fernandes. Percursos ocupacionais e evasão no curso técnico de enfermagem na Escola Técnica de Saúde Professora Valéria Hora – ETSAL. 2016. 95 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Profissional em Saúde) – Fundação Oswaldo Cruz. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Rio de Janeiro, 2016.

FISCARELLI, Rosilene Batista de Oliveira. Material didático e prática docente. Revista Ibero Americana de Estudos na Educação, Araraquara, v. 2, n. 1, 2007. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/454. Acesso em: 09 jun. 2018.

GOMES, Heloisa Maria; MARINS, Hiloko Ogihara. A ação docente na educação profissional. São Paulo: Senac, 2004.

MACIEL, Alba Costa; MENDONÇA, Marília Alvarenga Rocha. Bibliotecas como organizações. Rio de Janeiro: Interciência, 2000.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MICCAS, Fernanda Luppino; BATISTA, Sylvia Helena Souza da Silva. Educação permanente em saúde: metassíntese. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 48, n. 1, p. 170-185, Feb. 2014.

MORO, Eliane Lourdes da Silva (org.) et al. Contextos formativos e operacionais das bibliotecas escolares e públicas brasileiras. Brasília: Conselho Federal de Biblioteconomia, 2015.

MOTA, Francisca Rosaline Leite. Bibliotecários e professores no contexto escolar: uma interação possível e necessária. In: SEMINÁRIO BIBLIOTECA ESCOLAR: ESPAÇO DE AÇÃO PEDAGÓGICA, 3.,2004. Belo Horizonte. Anais eletrônicos... Belo Horizonte: UFMG, 2004. Disponível em: http://gebe.eci.ufmg.br/downloads/321.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

PERUCCHI, Valmira. A importância da biblioteca nas escolas públicas municipais de Criciúma – Santa Catarina. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 4, n. 4, 1999. Disponível em: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/341. Acesso em: 24 abr. 2017.

DAVINI, Maria Cristina. Currículo integrado. CADRHU: Texto de apoio/Unidade 2, p. 282-289. Adaptação e resumo por José Paranaguá de Santana para a Capacitação Pedagógica do programa de formação de pessoal de nível médio em saúde (Projeto Larga Escala). OPAS, Brasília, 1983. Disponível em:

http://lagarto.ufs.br/uploads/content_attach/path/11340/curriculo_integrado_0.pdf. Acesso em: 09 maio 2017.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, Eduardo Valadares da; MORAES, Fabiano de Oliveira. Biblioteca escolar como espaço de reinvenções curriculares. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 25., 2013, Florianópolis. Anais eletrônicos... Florianópolis: FEBAB, 2013. Disponível em: https://portal.febab.org.br/anais/article/view/1242. Acesso em: 08 set. 2018.

SILVA, Elias Barbosa da. Acesso e universalização da biblioteca escolar como condição de qualidade na educação básica. 2020. 233 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-21

Como Citar

Silva, G. C. da, Barros, M. R. S., & Mota, F. R. L. (2021). A biblioteca escolar Enfermeira Zélia Maria Teixeira Cavalcante e a educação permanente em saúde: recurso didático-pedagógico. Biblioteca Escolar Em Revista, 7(2), 122-140. https://doi.org/10.11606/issn.2238-5894.berev.2021.162223

Edição

Seção

Artigos