Identificação molecular e imunológica de Toxoplasma gondii e fatores de risco associados com infecção em galinhas abatidas na região do Triângulo Mineiro, Minas Gerais, Brasil.

  • Karina Costa Coelho Gonçalves Universidade Federal Fluminense, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Laboratório de Parasitologia
  • Maria Regina Reis Amendoeira Instituto Oswaldo Cruz, Laboratório de Toxoplasmose e outras Protozooses
  • Kênia de Fátima Carrijo Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Daniela Leles Universidade Federal Fluminense, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Laboratório de Parasitologia
  • Guilherme Mendes Borges Nunes Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Adriana Pittella Sudré Universidade Federal Fluminense, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Laboratório de Parasitologia
  • Gabriela Cardoso Góes Universidade Federal Fluminense, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Laboratório de Parasitologia
  • Rodrigo Caldas Menezes Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, Laboratório de Pesquisa Clínica em Dermatozoonoses em Animais Domésticos
  • Patricia Riddell Millar Universidade Federal Fluminense, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Laboratório de Parasitologia
Palavras-chave: Toxoplasma gondii, Gallus gallus domesticus, Sorologia, Diagnóstico molecular

Resumo

O objetivo do presente estudo foi determinar a frequência de anticorpos anti-Toxoplasma gondii em soro de galinhas abatidas na região do Triângulo Mineiro, Minas Gerais, detectar molecularmente o parasito em tecidos (coração e cérebro) de algumas das aves sorologicamente positivas e averiguar variáveis de risco associadas à infecção. Foram testados soros de 417 galinhas, criadas nos sistemas extensivo, semi-intensivo e intensivo. Para a pesquisa de anticorpos anti-T. gondii foi utilizada a Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI) e Hemaglutinação Indireta (HAI). A Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) foi utilizada para detectar o DNA de T. gondii em fragmentos de cérebro e coração. Anticorpos foram detectados no soro de 37,65% (157/417) das aves pela RIFI e em 75,06% (313/417) pela HAI. O índice Kappa mostrou uma fraca concordância entre as técnicas (0,087). Baseado na RIFI, foi verificada associação estatisticamente significativa (p < 0,0001) entre a soropositividade e as variáveis: idade, tipo de alimentação e criação em conjunto com outras espécies animais. Não foi observada associação estatística (p > 0,01) entre as variáveis: sexo, presença de gatos e presença de ratos. Pelo diagnóstico molecular DNA do parasito foi detectado em duas amostras de cérebro, de indivíduos diferentes criados em sistema intensivo e semi-intensivo. Os resultados indicam a possibilidade de a carne dessas aves poderem atuar como fonte de infecção deste protozoário para o homem.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-03-12
Como Citar
Gonçalves, K., Amendoeira, M. R., Carrijo, K., Leles, D., Nunes, G., Sudré, A., Góes, G., Menezes, R., & Millar, P. (2019). Identificação molecular e imunológica de <i>Toxoplasma gondii</i&gt; e fatores de risco associados com infecção em galinhas abatidas na região do Triângulo Mineiro, Minas Gerais, Brasil. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 55(4), e144252. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2018.144252
Seção
ARTIGO COMPLETO