Infecção por Dirofilaria immitis em cães policiais importados no Iraque:

estudo clínico-patológico e de investigações moleculares

  • Karima Akool Al-Salihi Al Muthanna University, College of Veterinary Medicine https://orcid.org/0000-0002-5698-2678
  • Ahmed Hameed Al-Dabhawi University of Kufa, Faculty of Veterinary Medicine
  • Hayder M. Al-Rammahi University of Kufa, Faculty of Veterinary Medicine
  • Fatima Atiya Kareem University of Kufa, Faculty of Veterinary Medicine
Palavras-chave: Gene cox1, D.immitis, Iraq, K-9, Microfilarias

Resumo

A Dirofilaria immitis, causadora da infestação pelo verme do coração (IVC) ou dirofilariose afeta os membros da família Canidae e ainda é um problema clínico mundial. Até o ano de 2009, acreditava-se que o Iraque fosse livre da dirofilariose, porém nessa ocasião a governadoria de Kerbala foi relatada como uma área endêmica de dirofilariose. Assim, o presente trabalho foi realizado para investigar a ocorrência da Dirofilaria immitis em cães policiais em uma academia de polícia do Iraque, estudar as alterações macroscópicas e histopatológicas em cinco cães mortos, bem como, identificar as espécies do parasita causador com o emprego da técnida de PCR. Trinta e nove cães policiais com 6 meses a 12 anos de idade foram incluídos no estudo. Amostras de sangue de cinco mililitros foram colhidas por animal, em tubos com EDTA e foram examinadas pelo método de Knott. A necropsia sistêmica foi realizada em cinco cães que haviam
apresentado sinais clínicos severos de dirofilariose e espécimens dos seus tecidos foram enviados para o processamento histopatológico de rotina. Para a análise molecular dos vermes adultos de Dirofilaria spp, foi empregada a extração do DNA e a amplificação do gene cox1. Quinze de 39(38,46%) cães foram diagnosticados com uma microfilariase variável de moderada para severa. As alterações macroscópicas e histopatológicas foram acompanhadas por lesões generalizadas tromboembólicas sugestivas da ocorrência da síndrome da veia cava. A investigação de PCR confirmou que a D.immitis era a espécie presente no Iraque. A conclusão do estudo estabeleceu que o Iraque deve passar a ser considerado como uma nova área endêmica da dirofilariose. Além da infestação registrada nos casos descritos é provável que ela também esteja presente em outras regiões do Iraque. Os autores recomendam a realização de estudos epidemiológicos para investigar a ocorrência de D.immitis tanto nos cães locais bem como em cães importados em todas as governadorias do Iraque, para ser construído o mapa epidemiológico da distribuição da doença e implantadas as ações de tratamento e de um progrma preventivo. Ações de educação em saúde sobre a doença deverão ser dirigidas para os veterinários, tratadores de cães e para pessoas em geral que tenham contato com os cães, pois esta doença é uma importante zoonose.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-15
Como Citar
Al-Salihi, K., Al-Dabhawi, A., Al-Rammahi, H., & Kareem, F. (2019). Infecção por Dirofilaria immitis em cães policiais importados no Iraque:. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 56(2), e152987. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2019.152987
Seção
ARTIGO COMPLETO