Vascularização e Natureza de Estruturas do Androceu em Lecythidaceae

Autores

  • W.R. Monteiro-Scanavacca Departamento de Botânica USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v3i0p61-73

Resumo

Efetuou-se um estudo de vascularização do androceu em flores de doze espécies de Lecythidaceae. Tais espécies foram: Allanntoma lineata (Mart.) Miers, Bertholletia excelsa Humb. & Bonpl., Cariniana estrellensis (Raddi) O. Kuntze, Chytroma spruceana (Berg) Miers, Corythophora alta R. Knuth, Couratari tauari Berg, Couroupita acreensis R. Knuth, Eschweilera krukovii A. C. Smith, Grias fendleri Seem, Gustavia augusta L., Holopyxidium jaranum (Huber) Ducke e Lecythis pisonis Camb.

A principal estrutura morfológica do androceu nesta família e o produto da fusão dos numerosos estames e não pode ser considerada como um andróforo. Foi demonstrada a presença de fascículos de estames no androceu, cada um destes associados a um tronco de suprimento vascular, que é o traço do fascículo de estames. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1975-06-25

Como Citar

Monteiro-Scanavacca, W. (1975). Vascularização e Natureza de Estruturas do Androceu em Lecythidaceae. Boletim De Botânica, 3, 61-73. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v3i0p61-73

Edição

Seção

Artigos