Estudo de Placentação em Lecythidaceae

Autores

  • W.R. Monteiro-Scanavacca Departamento de Botânica USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v3i0p75-85

Resumo

Estudou-se a placentação em doze espécies de Lecythidaceae, isto é, Allan­toma lineata (Mart.) Miers, Bertholletia excelsa Humb. & Bonpl., Cariniana estrellensis (Raddi) O. Kuntze, Chytroma spruceana (Berg) Miers, Corythophora - alta R. Knuth, Couratari tauari Berg, Couroupita acreensis R. Knuth, Eschwei­lera ·krukovii A. C. Smith, Grias fendleri Seem, Gustavia augusta L., Holopyxidium jaranum (Huber) Ducke e Lecythis pisonis Camb.

O ovário e multilocular com placentação axilar, na base, e passa ao tipo unilocular com placentação parietal em certos níveis acima. No ápice do eixo placentário, ou acima, aparece novamente fusão das margens carpelares. Estu­dou-se também a posição do xilema em relação ao floema nos feixes carpelares ventrais. Em Lecythidaceae, assim como em Myrtaceae e outras famílias, a placentação parietal e derivada do tipo axilar. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1975-06-25

Como Citar

Monteiro-Scanavacca, W. (1975). Estudo de Placentação em Lecythidaceae. Boletim De Botânica, 3, 75-85. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v3i0p75-85

Edição

Seção

Artigos