Stress Hídrico e Alguns Aspectos do Comportamento Fisiológico em Xerophyta aplicata Spreng. - Velloziaceae

Autores

  • M. Meguro Departamento de Botânica USP
  • C.A. Joly Departamento de Botânica USP
  • M.M. Bittencourt Departamento de Botânica USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v5i0p27-42

Resumo

Xerophyta plicata Spreng., espécie rupícola pertencente a família Velloziaceae, apresenta uma notável capacidade de tolerar a redução do potencial hídrico interno, sem sofrer abscisão de suas folhas. A alta tolerância à desidratação, pouco frequente entre as plantas superiores, parece ser uma caraterística comum nas plantas do gênero Xerophyta Juss., como já foi demonstrada em diversas espécies Africanas. O presente trabalho estuda o andamento diário da transpiração da espécie brasileira na estação chuvosa e seca sob condições de cultivo, além de alguns aspectos do comportamento fisiológico de folhas cortadas e submetidas ao processo de dessecamento em câmaras de umidade relativa controlada. Após 10, 20, 40 e 80 dias de tratamento, as folhas se apresentaram amarelo-acinzentadas e cerca de 90% do conteúdo total de água foi perdido, com exceção daquelas mantidas em 100% de U. R. Quando re-hidratadas, as folhas readquiriram a cor verde em 48-72 horas e uma razão Fotossíntese/Respiração positiva foi observada. No entanto, naquelas dessecadas durante 80 dias, somente as mantidas em câmara com umidade relativa em tomo de 56% apresentaram razão positiva. O peso seco obtido, mais reduzido, indica uma injúria metabólica indireta do stress hídrico, dependente do tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1977-06-25

Como Citar

Meguro, M., Joly, C., & Bittencourt, M. (1977). Stress Hídrico e Alguns Aspectos do Comportamento Fisiológico em Xerophyta aplicata Spreng. - Velloziaceae. Boletim De Botânica, 5, 27-42. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v5i0p27-42

Edição

Seção

Artigos