Pollen Development of Tabebuia pulcherrima Sandwith (Bignoniaceae) from Meiosis to Anthesis

Autores

  • N.S. Bittencourt Junior Departamento de Botânica USP
  • J.E.A. Mariath Departamento de Botânica USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v20i0p17-29

Palavras-chave:

Bignoniaceae, Tabebuia, pollen ontogeny, histochemistry

Resumo

A ontogenia do grão de pólen de Tabebuia pulcherrima foi analisada. O desenvolvimento do andrófito segue o modo usual em angiospermas dicotiledoneas. A esporoderme é composta por uma exina finamente reticulada e um delgado estrato inferior pectinizado (intina). A microestrutura reticulada da exina é determinada pela primexina, antes do desmembramento das tétrades por dissolução da calose. Nos colpos, o estrato pectinizado torna-se um oncus impregnado por substâncias protéicas. A exina das membranas aperturais sofre rupturas irregulares, expondo parcialmente a intina. No período meiótico as paredes de calose dos meiócitos tornam-se progressivamcnte PAS-positivas, ao passo que, no citoplasma, uma onda de amilogênese/amilólise é observada, estando os amiloplastos virtualmente ausentes nas tétrades de andrósporos. Durante a maturação do grão de pólen, uma nova onda de amilogênese/amilólise acontece no protoplasma da célula vegetativa, ao passo que, no seu núcleo, o nucléolo expande-se significativamente, desenvolvendo conspícuos vacúolos nucleolares. A célula generativa não desenvolve amiloplastos. No grão de pólen maduro, a célula generativa torna-se alongada, com parede celular PAS-positiva e associa-se ao núcleo da célula vegetativa, formando a unidade germinativa masculina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2002-06-27

Como Citar

Bittencourt Junior, N., & Mariath, J. (2002). Pollen Development of Tabebuia pulcherrima Sandwith (Bignoniaceae) from Meiosis to Anthesis. Boletim De Botânica, 20, 17-29. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v20i0p17-29

Edição

Seção

Artigos