Desenvolvimento anatômico do sistema subterrâneo de Oxalis latifolia Kunth (Oxalidaceae). I. Stem system

Autores

  • Maria Emilia Estelita Teixeira Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências. Departamento de Botânica

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v6i0p9-25

Palavras-chave:

Oxalis latifolia, Sistema caulinar, Desenvolvimento anatômico

Resumo

O estolão muito jovem de O. latifolia já apresenta início de separação em duas regiões distintas: a terminal ou bulbilho incipiente e a basal ou porção delgada do estolão. No eixo do bulbilho, a diferenciação dos tecidos vasculares realiza-se a partir de cordões longitudinais de procâmbio que acabam formando um cilindro contínuo, preenchido pela medula. Para cada escama dirigem-se três feixes e o traço do feixe central deixa uma lacuna; posteriormente, o eixo forma estrutura secundária. As escamas possuem três ou cinco feixes imersos num parênquima amilífero e, entre cada feixe e a epiderme da face abaxial, ocorrem cavidades secretoras lisígenas, com conteúdo tânico. nas escamas com cinco feixes, os dois próximos à margem, parecem pertencer a estípulas que se soldaram. A porção delgada do estolão tem estrutura caulinar, porém, o córtex é bastante desenvolvido e a endoderme assemelha-se à da raiz. Com o início da estrutura secundária, formam-se, no córtex, faixas longitudinais, curtas, de felogênio, que dão origem a uam periderme descontínua; posteriormente, há formação de uma periderme contínua, a partir de um felogênio uniforme, situado em camadas mais profundas do córtex.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1978-10-01

Como Citar

Teixeira, M. E. E. (1978). Desenvolvimento anatômico do sistema subterrâneo de Oxalis latifolia Kunth (Oxalidaceae). I. Stem system. Boletim De Botânica, 6, 9-25. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v6i0p9-25

Edição

Seção

Artigos