Algas marinhas bentônicas da Baía de Santos - alterações da flora no período de 1957-1978

Autores

  • Eurico Cabral de Oliveira Filho Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências. Departamento de Botânica
  • Flávio Augusto de Souza Berchez Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências. Departamento de Botânica

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v6i0p49-59

Palavras-chave:

Algas marinhas, Algas marinhas bentônicas

Resumo

O primeiro trabalho com caráter de flora a tratar das algas marinhas do Brasil foi publicado por Joly, em 1957, sobre a flora marinha da região de Santos, tendo-se constituído no marco mais significativo da Ficologia Brasileira. No referido trabalho Joly refere a existência de 105 espécies sendo 4 Cianofíceas, 22 Clorofíceas, 16 Feofíceas e 63 Rodofíceas. em levantamento que efetuamos no período de 1976-1978, coletando exatamente nos mesmo pontos visitados por Joly, encontramos apenas 68 espécies, sendo 4 Cianofíceas, 19 Clorofíceas, 6 Feofíceas e 39 Rodofíceas. Destas 68 espécies, 17 devem ter sido introduzidas recentemente e constituem novas referências para a área o que aumenta para 54 o número de espécies que existiam anteriormente na região e que não são mais encontradas no local. Isto significa que mais de 50% da flora original desapareceu nos últimos 20 anos. Os dados mostram ainda que as algas pardas foram as mais sensíveis às mudanças ambientais tendo havido uma diminuição de 62,5% no número de espécies que existiam na região na década de 50. Uma comparação da proporção de cada grupo nas décadas de 50 e 70 evidencia que houve uma pequena redução na representação das algas vermelhas e um aumento relativo na representação das algas verdes e azuis. Embora a poluição geral da Baía de Santos não tenha sido monitoreada nestes 20 anos seu aumento é notório e a ela devem ser atribuídas a maior parte das alterações detectadas na flora. A comparação da flora de Santos com a de regiões limítrofes leva á conclusão de que os efeitos da poluição já deviam exercer sua influência na composição florística da região mesmo na década de 50.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1978-11-01

Como Citar

Oliveira Filho, E. C. de, & Berchez, F. A. de S. (1978). Algas marinhas bentônicas da Baía de Santos - alterações da flora no período de 1957-1978. Boletim De Botânica, 6, 49-59. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9052.v6i0p49-59

Edição

Seção

Artigos