Mulheres ciumentas, homens enfeitiçados: contribuições Ticuna para as reflexões sobre gênero e violência

Autores

  • Aline Moreira Magalhães Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v24i24p465-486

Palavras-chave:

sexualidade, violência, feitiçaria, política, Ticuna.

Resumo

Este artigo percorre dados etnográficos concernentes às conexões entre
práticas e expectativas sexuais, e a modalidade de violência e regulação social
da feitiçaria. Neste contexto, um homem obrigar a mulher em ato sexual não
constituía injúria coletiva ou motivo para punição. Não obstante, as mulheres
poderiam matá-los via enfeitiçamento, caso insatisfeitas com as inabilidades masculinas,
sejam sexuais ou vinculadas às atividades cotidianas. A sugestão de que
estavam enfeitiçados era propagada por comentários dedicados a fomentar suspeitas
sobre a promiscuidade das mulheres, que denotava a “vontade de se livrar”
dos homens com os quais coabitavam. Enfoca-se, neste sentido, as fronteiras
entre possibilidades/práticas sexuais e relações políticas, tais como entretecidas
entre homens e mulheres Ticuna, que tangenciam, por sua vez, as formas organizativas
desta etnia em favor de seus objetivos e sua existência coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Moreira Magalhães, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Mestre e doutora em Antropologia Social (PPGAS-MN)

Downloads

Publicado

2016-06-17

Como Citar

Magalhães, A. M. (2016). Mulheres ciumentas, homens enfeitiçados: contribuições Ticuna para as reflexões sobre gênero e violência. Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 24(24), 465-486. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v24i24p465-486

Edição

Seção

Especial