A mobilização de refugiados e suas linguagens. Notas etnográficas sobre um campo de interlocução em transformação

Autores

  • Silvia Zelaya Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v25i25p400-420

Palavras-chave:

Imigração, Refugio, Protagonismo migrante, Autorepresentacão, Mobilização política

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir, a partir de experiências etnográficas em eventos de visibilizacão e sensibilização da questão migratória na cidade de São Paulo, como as formas de mobilização política produzidas pelo Grupo de Refugiados e Imigrantes Sem Teto (Grist) podem ser vistas como cenários privilegiados para pensar o contexto migratório atual como um campo de interlocução em transformação. Entendo que para além da proposta de autorre- presentação, essas manifestações – desde rodas de conversa sobre a guerra na República Democrática do Congo até apresentações musicais em bares e restau- rantes, passando por palestras em bibliotecas e instituições educativas – podem estimular a construção de representações mais plurais e menos estereotipadas sobre os imigrantes bem como atitudes de enfrentamento crítico para outros grupos e comunidades de migrantes. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Zelaya, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

É licenciada em Sociología pela Universidad de La Laguna (2008), mestre em Investigación etnográfica, teoría antropológica y relaciones interculturais pela Universitat Autónoma de Barcelona (2010) e mestre em Governanza y Derechos Humanos pela Universidad Autónoma de Madrid (2012). Realizou estudos em Relaciones Internacionales na Universidad del Salvador (Argentina, 2002). Atualmente é pesquisadora no Programa de Pós Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Estudos Migratorios.

Downloads

Publicado

2017-10-02

Como Citar

Zelaya, S. (2017). A mobilização de refugiados e suas linguagens. Notas etnográficas sobre um campo de interlocução em transformação. Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 25(25), 400-420. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v25i25p400-420

Edição

Seção

Especial