Bolsonaro, Meio Ambiente, Povos e Terras Indígenas e de Comunidades Tradicionais: uma visada a partir da Amazônia

Autores

  • Henyo Trindade Barretto Filho Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v29i2pe178663%20

Palavras-chave:

Bolsonaro, Meio ambiente, Povos indígenas, Amazônia

Resumo

O texto efetua um breve balanço de tendências no governo Bolsonaro em relação ao meio ambiente, povos e terras indígenas e de comunidades tradicionais a partir de desenvolvimentos recentes na Amazônia e desde uma perspectiva histórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Alfredo Wagner de. (1994) [1989]. “Universalização e localismo: movimentos sociais e crise dos padrões tradicionais de relação política na Amazônia”. In: D’INCAO, Maria Ângela; SILVEIRA, Isolda Maciel (orgs.). Amazônia e a Crise da Modernização. Belém: Museu Paraense Emilio Goeldi. pp. 521-537.

BARRETTO FILHO, Henyo. Trindade. (2004). “Meio Ambiente, 'realpolitik', reforma do Estado e ajuste fiscal”. In: ROCHA, Denise; BERNARDO, Maristela; et al. (orgs.) A Era FHC e o Governo Lula: transição? Brasília: Inesc. pp. 327-358.

BARRETTO FILHO, Henyo Trindade. (2018). Reparação e Descolonização como Eixos da Política Indigenista: um trecho original do documento-base da 1ª Conferência Nacional de Política Indigenista. Vukápanavo: Revista Terena, vol.1, n.1, pp.80-106.

BARRETTO FILHO, Henyo Trindade; RAMOS, Alcida. (2019). “Da luta por direitos à luta para não perdê-los: povos e terras indígenas (TIs) na guerra pela destinação de terras públicas no Brasil pós-Constituição”. In: ARRETCHE, Marta; MARQUES, Eduardo; FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de. (orgs.). As Políticas da Política: desigualdades e inclusão nos governos do PSDB e do PT. São Paulo: Editora Unesp. pp. 321-344.

BECKER, Berta. (1990). “Gestão do território e territorialidade na Amazônia: A CVRD e os garimpeiros na província mineral de Carajás”. In BECKER, Berta K; MIRANDA, Mariana Miranda; MACHADO, Lia Osório. (Orgs). Fronteira Amazônica: questões sobre a gestão do território. Brasília: Editora UnB. pp. 197-214.

BRASIL. Comissão Nacional da Verdade (CNV). 2014. “Texto 5 - Violações de direitos humanos dos povos indígenas”. Relatório. Volume II: Textos temáticos. Brasília: CNV. pp. 203-62.

COWELL, Adrian. (1990). The Decade of Destruction. Sevenoaks, UK: Hodder & Stoughton.

CUNHA, Euclides da. (2013) [1904]. “Entre o Madeira e o Javari”. Seleta: textos sobre o Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Darcy Ribeiro (Col. Biblioteca Básica Brasileira, 18). pp. 39-44.

DAVIS, Shelton. (1977). The Victims of the Miracle: Development and the Indians of Brazil. Cambridge: Cambridge University Press.

FISHER, William Halder. (1995). “Native Amazonians and the Making of the Amazon Wilderness: from Discourse of Riches and Sloth to Underdevelopment”. In DUPUIS, Melanie E.; VANDERGEEST, Peter. (orgs.). Creating the Countryside: the politics of rural and environmental discourse. Philadelphia: Temple University Press. pp.166-203.

HURRELL, Andrew. (1992). “Brazil and the international politics of Amazonian deforestation”. In: Hurrell, Andrew; KINSGBURY, Benedict. (eds.), The International Politics of the Environment: Actors, interests and institutions. Oxford: Clarendon Press. pp. 398-429.

KUEHLS, Thom. (1996). Beyond Sovereign Territory. Minneapolis: University of Minnestota Press.

MMA (Ministério do Meio Ambiente). (1997). Agenda Amazônia 21: bases para discussão. Brasília: MMA, Secretaria de Coordenação da Amazônia.

PINTO NETO, Moyses. 2019. O projeto bolsonarista não é um autoritarismo clássico baseado em leis e instituições sob comando do ditador. É um governo do caos que desbloqueia os freios à violência opressiva e deixa espécie de laissez-faire na sociedade civil liberta dos limites legais. 09 de jul de 2019. Twitter: @moysespintonet0. Disponível em https://twitter.com/moysespintonet0/status/1148580692240080902. Acesso em 13 de jul de 2019.

SILVA, Marilene Corrêa da. (1994). Os Processos de Globalização na Amazônia. Trabalho apresentado no GT “Sociologia da Cultura Brasileira”, no XVIII Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu-MG.

VALENTE, Rubens. (2017). Os Fuzis e as Flechas: história de sangue e resistência indígena na ditadura. São Paulo: Companhia das Letras.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. (1996). Images of Nature and Society in Amazonian Ethnology. Annual Review of Anthropology, vol.25: p.179-200.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Barretto Filho, H. T. . (2020). Bolsonaro, Meio Ambiente, Povos e Terras Indígenas e de Comunidades Tradicionais: uma visada a partir da Amazônia. Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 29(2), e178663 . https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v29i2pe178663

Edição

Seção

Conjuntura