Duas Mulheres Negras: histórias de religiosidade popular e resistência

  • Ana Lúcia E. P. Valente University of Sao Paulo
  • Neusa Maria Mendes Gusmão Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Cultura, Negritude, Diáspora, Religião, identidade, resistência, Memória, Tradição

Resumo

A história de duas comunidades negras contemporãneas revelam que as diferenças culturais se transformaram a partir da escravidão, dando origem as diversas formas de existir enquanto grupo negro.

Nos dois casos, a tradição e a memória da prática religiosa católica, no culto de São benedito, revelam-se como um movimento qe repõe a história comum partilhada, permitindo a preservação do espaço físico e social. Ao memso tempo revela-se aí, numa prática de "brancos", um universonegro singular e resistente.

Nos exemplos analisados, coloca-se a questão do que é ser negro fora da áfrica; discute-se o papel dos processos culturais que transformam e são transformados através do tempo, e dimensiona-se qualitativamente a questão da cor e da raça na diáspora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neusa Maria Mendes Gusmão, Universidade de São Paulo
Graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1973), mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1977) e doutorado em Ciência Social (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo (1990). Pós-doc no Instituto de Ciências Sociais - ICS - da Universidade de Lisboa em 1998 e 2002. Livre-Docente na Área de Antropologia e Educação em 2003, FE/UNICAMP e Titular na Área de Antropologia e Educação, FE/UNICAMP em 2009. Atualmente é professora titular, MS-6 da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP.
Publicado
2014-04-25
Como Citar
Valente, A. L., & Gusmão, N. M. (2014). Duas Mulheres Negras: histórias de religiosidade popular e resistência. Cadernos De Campo (São Paulo 1991), 1(1), 27-34. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v1i1p27-34
Seção
Artigos e Ensaios