De corpos duplos: mestiçagem, mistura e relação entre os Karajá de Buridina (Aruanã-GO).

  • Eduardo S. Nunes Universidade de Brasília
Palavras-chave: Mestiçagem, Mistura, Karajá de Buridina, Perspectiva, Relações com os brancos

Resumo

Buridina é uma pequena aldeia karajá incrustada no centro da turística cidade de Aruanã (GO), à beira do Rio Araguaia. Na década de 1970, sua população iniciou uma série de casamentos com os não índios regionais, de modo que, hoje, a maioria da população é mestiça. Este fato, aliado ao extremo conhecimento e engajamento desta população no mundo não indígena, não raro faz pesar sobre Buridina o estigma da aculturação. Partindo dos casamentos interétnicos, dos filhos gerados por eles e da forma como os Karajá os classificam para explorar a forma indígena da relação entre as perspectivas indígena e não indígena, o artigo se dedica a mostrar que, para estes Karajá, o aprendizado e experimentação do mundo dos tori (os brancos) não implica uma “perda cultural”. Antes que de um processo aculturativo, trata-se de uma experiência corporal dupla, na qual ambas as perspectivas se relacionam numa unidade repartida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo S. Nunes, Universidade de Brasília
Mestrando em Antropologia Social / UNB
Publicado
2010-03-30
Como Citar
Nunes, E. (2010). De corpos duplos: mestiçagem, mistura e relação entre os Karajá de Buridina (Aruanã-GO). Cadernos De Campo (São Paulo 1991), 19(19), 113-134. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v19i19p113-134
Seção
Artigos e Ensaios