Imagens do poder: a política xinguana na etnografia

Autores

  • Marina Vanzolini Figueiredo Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v17i17p89-109

Palavras-chave:

Alto Xingu. Política ameríndia. Modelos etnográficos.

Resumo

O artigo apresenta uma revisão dos
modos pelos quais a liderança indígena tem sido
descrita nas etnografias do conjunto multilíngüe
xinguano (MT). A análise aponta para uma opo-
sição entre trabalhos que delineiam um socius hie-
rárquico e centralizador e aqueles que focalizam
o que poderíamos caracterizar como vetores cen-
trífugos do processo político local. Mesmo que
tal divergência corresponda em alguma medida a
realidades etnográficas diversas – diferença entre
perspectivas Aruaque e Carib, por exemplo – a
oposição é tratada aqui sobretudo como produto
dos diferentes alinhamentos teóricos dos etnógra-
fos. O objetivo deste trabalho não é escolher a des-
crição mais verdadeira ou propor uma descrição
alternativa da política xinguana, mas relacionar as
etnografias aos modelos que as informam e, simul-
taneamente, enfatizar a necessidade de constante
revisão da linguagem antropológica pelo confron-
tamento com as práticas nativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Vanzolini Figueiredo, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em Antropologia Social PPGAS/UFRJ

Downloads

Publicado

2008-03-30

Como Citar

Figueiredo, M. V. (2008). Imagens do poder: a política xinguana na etnografia. Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 17(17), 89-109. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v17i17p89-109

Edição

Seção

Artigos e Ensaios