Heidegger, Ingold e as (zoo)técnicas: uma discussão a partir da bovinocultura de corte brasileira

Autores

  • Caetano Sordi Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v22i22p118-133

Palavras-chave:

Zootecnia, Bovinocultura, Discursos, Antropologia, Crítica Heideggeriana

Resumo

Este artigo discute os sentidos da zootecnia a partir de um ponto de vista heideggeriano, esboçado pelo autor em “A questão da técnica” [Die frage nach der Technik], de 1953. O artigo articula a discussão sobre a zootecnia com o trabalho de campo etnográfico realizado em eventos públicos da pecuária de corte brasileira ao longo dos anos de 2011-2012. O objetivo da pesquisa fora registrar como o estatuto ontológico dos animais de produção é construído pelos discursos do agronegócio brasileiro. Tomando a obra de Ingold como mediação entre a discussão proposta por Heidegger e o escopo etnográfico original, delineia-se uma reflexão sobre a colocação em “disponibilidade” dos corpos animais através da zootecnia moderna e seus saberes correlatos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-05-23

Como Citar

Sordi, C. (2014). Heidegger, Ingold e as (zoo)técnicas: uma discussão a partir da bovinocultura de corte brasileira. Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 22(22), 118-133. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v22i22p118-133

Edição

Seção

Artigos e Ensaios