Normas de Submissão

CRITÉRIOS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

A revista aceita em fluxo contínuo contribuições nos seguintes formatos: Artigos, Ensaios, Traduções, Resenhas, Resenhas de filmes etnográficos ou relacionados à antropologia, Entrevistas e Produções visuais (Quimeras). As chamadas para a Seção Especial, quando públicas, serão anunciadas em prazos específicos e com prazos para recebimento de colaborações. Em concordância com a política editorial da revista, não serão aceitos trabalhos que não incluam na referencial bibliográfico, autoras mulheres e negras/não-brancas, sem que haja uma justificativa. 

 

Artigos e ensaios

Devem ser inéditos, indicar título, resumo entre 100 e 150 palavras e um elenco de 3a  5 palavras-chave (separadas por ponto e vírgula), todos em português e inglês. Os trabalhos devem ter entre 5000 e 9.000 palavras. Casos excepcionais serão avaliados pela comissão editorial.

Os nomes dos(as) autores(as) não devem estar indicados nos textos e eventuais menções aos(às) autores(as) no corpo do texto devem aparecer de forma anônima (ex. #Autora, 2016, p.23). Os textos devem ser inéditos e respeitar os princípios de boas práticas científicas e ética de pesquisa antropológica.

Avaliação O Artigo ou Ensaio que estiver dentro das normas citadas acima será avaliado pela comissão editorial e, sendo aprovado, seguirá para avaliação de ao menos dois/duas pareceristas da área. O resultado dos pareceres poderá ser: “Publicação sem revisão”; “Publicação após pequenas revisões estilísticas ou textuais”; “Publicação somente após revisões substantivas”; ou “Rejeição”. Em casos de correções, o artigo ou ensaio poderá ser avaliado em outra rodada de leitura em duplo cego.

 

Traduções
Serão aceitas traduções de trabalhos relevantes e indisponíveis em língua portuguesa ou, em alguns casos, de textos que justifiquem uma retradução. Os trabalhos devem apresentar título e nome(s) d(os/as) autor(es/as). Devem ainda ser acompanhadas de cópia do original utilizado na tradução, bem como da autorização do(a) detentor(a) dos direitos autorais permitindo sua publicação em português (ver modelo aqui). As traduções não devem exceder 9.000 palavras (casos excepcionais serão avaliados pela comissão editoral). O(s) nome(s) do(s) tradutor(es) não devem estar indicados nos textos.

Avaliação. A qualidade da tradução será avaliada pela comissão editorial. É recomendável que antes de submetê-la os(as) autores(as) a façam passar por uma revisão técnica particular, preferencialmente um professor doutor com familiaridade com as proposições teóricas do texto. Caso o texto seja submetido sem a revisão técnica, a comissão editorial indicará um especialista para fazê-la.

 

Resenhas

Serão aceitas resenhas de livros publicados no período de quatro anos anterior à data de abertura da chamada para trabalhos. Os trabalhos devem indicar a referência bibliográfica do trabalho resenhado e não devem ultrapassar 3500 palavras. Casos excepcionais serão avaliados pela comissão editorial. O(s) nome(s) do(s)/da(s) autor(es)/autora(s) não devem estar indicados nos textos e eventuais menções aos(às) autores(as) no corpo do texto devem aparecer de forma anônima (ex. AUTOR, 2016, p.26). As resenhas encaminhadas devem ser inéditas e respeitar os princípios de boas práticas científicas. 

Serão aceitas resenhas de filmes etnográficos ou relacionados à antropologia. Os textos devem trazer, a partir da obra analisada, uma contribuição que leve em conta as discussões atuais da antropologia do ponto de vista de sua prática e teoria. Os trabalhos devem indicar a referência bibliográfica da obra resenhada e não devem ultrapassar 3500 palavras. Casos excepcionais serão avaliados pela comissão editorial. O(s) nome(s) do(s)/da(s) autor(es)/autora(s) não devem estar indicados nos textos. Os textos devem ser inéditos e respeitar os princípios de boas práticas científicas e ética de pesquisa antropológica.

Avaliação: Toda resenha enviada para a revista será avaliada por um/uma parecerista da área. O resultado do parecer poderá ser: “Publicação” ou “Rejeição”. No caso de parecer favorável, o(a) parecerista poderá sugerir pequenas alterações a serem incorporadas à versão final do texto.

 

Entrevistas
As entrevistas devem apresentar apenas o(s) nome(s) d(os/as) entrevistad(os/as). Devem conter também uma apresentação de no máximo 400 palavras. As entrevistas não devem exceder 7.000 palavras (casos excepcionais serão avaliados pela comissão editorial). Solicitamos também o envio da autorização do(s)/da(s) entrevistado(s)/entrevistada(s), concordando com a publicação do trabalho. O(s) nome(s) dos(as) entrevistadores não devem estar indicados no texto.

Avaliação: A entrevista que estiver dentro das normas citadas acima será avaliada pela comissão editorial e, caso a comissão julgue necessário, seguirá para revisão técnica de um especialista da área. O resultado do parecer poderá ser: “Publicação” ou “Rejeição”. No caso de parecer favorável, o parecerista poderá sugerir pequenas alterações a serem incorporadas à versão final do texto.


Produções visuais (Seção Quimeras)

A Seção Quimeras se dedica à publicação de produções estéticas como ensaios fotográficos, ilustrações e desenhos. Os trabalhos devem apresentar título e uma apresentação suscinta informando a natureza e contexto do trabalho. O limite para cada submissão é de até 12 imagens, em resolução a partir de 300 dpi, acompanhadas da indicação de autoria e ano. Legendas são opcionais. É preciso enviar autorizações de uso, incluindo a possível publicação de uma das fotos na capa da revista. O(s) nome(s) do(s)/da(s) autor(es/autor(as) não devem estar indicados no texto.

Avaliação: Os trabalhos serão enviados para um(a) curador(a), designado pela comissão editorial, que será responsável pela avaliação e escolha do(s) ensaio(s) a ser(em) publicado(s).

 

Dossiês (seção Especial)

A seção Especial da Cadernos de Campo reúne dossiês temáticos sugeridos pela Comissão Editorial ou elaborada por organizadores convidados com participação de ao menos um membro da Comissão Editorial. Os dossiês devem reunir entre ao menos 5 trabalhos de autores de pelo menos três instituições. Recomenda-se enormemente que haja também empenho em garantir a diversidade regional e de gênero das autoras e autores. Interessadas/os em submeter propostas devem encaminhar um resumo contendo a proposta do dossiê, a forma de composição de dossiê (se oriundo de evento, se haverá chamada aberta, ou com convidados unicamente etc.). Os textos devem ser inéditos e respeitar os princípios de boas práticas científicas e ética de pesquisa antropológica. Espera-se que as/os proponentes tenham título de doutor/a, e produção no campo temático do dossiê.

Avaliação As propostas de dossiê encaminhadas serão avaliadas pela Comissão Editorial, considerando o fluxo de trabalho, p calendário da publicação, a atenção às regras estabelecidas para a seção, e o alinhamento da proposta à política editorial da revista.

 

 

FORMATAÇÃO DOS TRABALHOS

Os trabalhos devem estar digitados em página A4, fonte Times New Roman, corpo 12, espaçamento 1,5 cm, com margens esquerda/direita 2,5 cm, cabeçalho/rodapé 3 cm, em formato Microsoft Word (.doc ou .docx) ou OpenOffice (.odt)


Quadros, mapas, tabelas, imagens etc.
 devem ser enviados em arquivo separado, com indicações claras, ao longo do texto, dos locais em que devem ser incluídos. No caso das fotografias, devem estar digitalizadas com resolução a partir de 300dpi, formato .JPG e acompanhadas com os dados do autor/fonte e ano de produção.

Notas. As notas são enquadradas pelo padrão da norma ABNT NBR 10520. Devem ser incluídas no rodapé da página e se restringir ao mínimo possível, destinando-se preferencialmente a prestar esclarecimentos ou fazer considerações que não caibam na sequência lógica do texto. As referências não devem ser colocadas nas notas.

Citações. As citações devem seguir o padrão: (autor(a), ano da obra: número da página). Por exemplo: (Gonzalez, 1984: 223). Caso exista a repetição de um(a) mesmo(a) autor(a) em citações sucessivas, deverá repetir-se o formato (autor(a), ano da obra: número da página). Exemplo: (Gonzalez, 1982; Gonzales, 1984; Gonzalez, 1988).

As citações com mais de três linhas devem vir em um parágrafo separado, com recuo de 1,5cm, tamanho 10, sem aspas e com espaçamento entre linhas de 1,5cm. A formatação da Cadernos de campo não adota o uso dos termos "Ibid, Idem", "Id.", "Ibidem", “Opus cit." etc.

7.4. Referências Bibliográficas. As referências bibliográficas devem vir ao final do trabalho, listadas em ordem alfabética, obedecendo as normas da ABNT NBR 6023 (atenção à pontuação, espaços, usos do itálico e de maiúscula). Seguem exemplos:

Livros

LÉVI-STRAUSS, Claude. La pensée sauvage. Paris: Plon, 1962.

______. O cru e o cozido. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Cosac & Naify, 2004. 567p.

BATESON, Gregory; MEAD, Margaret. Balinese Character. A Photographic Analysis. New York: The New York Academy of Sciences, 1942. 284p.

Trabalhos em coletâneas

STOCKING JR., George. The Ethnographer’s Magic: Fieldwork in British Anthropology from Tylor to Malinowski. In: ______. (Org.). Observers observed – Essays on Ethnographic Fieldwork. Madison: The University of Wisconsin Press, 1983. pp.70-120.

TURNER, Terence. Ethno-ethnohistory: Myth and History in Native South American Representations of Contact with Western Society. In: HILL, J; WRIGTH, R. (Orgs.). Rethinking History and Myth. Indigenous South American Perspectives on the Past. Urbana: University of Illinois Press, 1988. pp.235-281.

Artigos em periódicos (versões impressa e eletrônica):

GEERTZ, Clifford. Ethos, world view and the analysis of sacred symbols. The Antioch review, Yellow Springs, v. 17, n. 4, pp.234-267, 1957.

BEVILAQUA, Ciméa. Direitos coletivos: do contrato ao status?. Pontourbe: revista do núcleo de antropologia urbana da USP, São Paulo, ano 1, v.1, 2007. Disponível em: <http://www.n-a-u.org/pontourbe01/Bevilaqua.html>. Acesso em: 23 mar. 2009.

Teses ou dissertações acadêmicas

DAWSEY, John Cowart. De que riem os bóias-frias? Walter Benjamin e o teatro épico de Brecht em carrocerias de caminhões. Tese (Livre-docência) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

 

Trabalhos do(s)/da(s) autor(es)/autora(s)

AUTORA, 2016.

AUTORA #1; AUTOR #2, 2016.

 

PASSO A PASSO COMO SUBMETER OS TRABALHOS VIA PORTAL:

 

A submissão de trabalhos será feita unicamente pelo site. O(a) autor(a) deve cadastrar-se na revista selecionando a opção autor(a), gerar login e senha (http://revistas.usp.br/cadernosdecampo/user/register).  Ao fazer o login, será direcionado(a) à Página do Usuário, na qual deverá clicar em [Nova submissão].

O processo de submissão divide-se em cinco passos. O(a) autor(a) deve preencher todos os passos adequadamente. O não cumprimento dessa exigência acarretará na rejeição do trabalho. Os campos de preenchimento facultativo serão indicados.

Os cinco passos são:

1. Início: escolher a Seção (Artigos e Ensaios, Quimeras, Entrevista, Traduções, Informes, Resenhas, Resenhas de filmes etnográficos ou relacionados à antropologia), aceitar as Condições para Submissão, a Declaração de Direito Autoral e escrever Comentários para o(a) Editor(a) (opcional).

2. Transferência do Manuscrito. Anexar o trabalho (em formato .doc, .docx ou .odt) no site e clicar em Transferir.

3. Inclusão de MetadadosInformações sobre os(as) Autores(as), Inclusão de Autor(a) (se houver), Título e Resumo, Indexação, Agências de Fomento (se houver) e Referências.

4. Transferência de Documentos Suplementares. Destinado para o envio de quadros, mapas, tabelas, imagens etc., os quais devem ser enviados em arquivos separados; Trabalhos para a seção Quimeras devem ser submetidos neste momento (o texto de apresentação deve ser inserido no passo 2). O termo de autorização da entrevista e traduções deve ser submetido neste momento. Lembre-se que as imagens devem estar digitalizadas com resolução a partir de 300dpi, formato .JPG.

5. Confirmação: verificar os passos anteriores e Concluir submissão.