TDIC e formação docente: ampliação da sala de aula, consciência crítica e autonomia

Autores

  • Rosângela Aparecida Dantas de Oliveira Universidade Federal de São Paulo Universidade de São Paulo
  • Andreia dos Santos Menezes Universidade Federal de São Paulo
  • Greice de Nóbrega e Sousa Universidade Federal de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v0i13p102-134

Palavras-chave:

Formação de professores, TDIC, letramento digital, consciência crítica, autonomia.

Resumo

O objetivo deste artigo é compartilhar reflexões sobre experiências de incorporação das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) no curso de Licenciatura em Letras-Português/Espanhol da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo. Tais reflexões decorrem de ações implementadas por algumas docentes do curso e se ancoram no compromisso de possibilitar aos futuros docentes vivenciar experiências práticas e reflexões teóricas que lhes proporcionem formação mais coerente com a circulação do conhecimento na sociedade contemporânea (M. Freire, 2009). Fundamentadas no desenvolvimento da capacidade reflexiva e crítica na formação docente (Freire, 1980, 1996; Dewey 1938/1963; Schön, 1992), e nas perspectivas apontadas por Buzato (2006, 2009), Valente e Silva (2006) e Masetto (2000) sobre o uso das TDIC no ensino e na formação de professores, discorremos sobre acertos, erros e necessidades de ajustes da experiência, seu impacto para os futuros docentes, bem como para as docentes ministrantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosângela Aparecida Dantas de Oliveira, Universidade Federal de São Paulo Universidade de São Paulo

Professora de Espanhol do Departamento de Letras da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Unifesp. Doutoranda do Programa de Língua e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana da FFLCH-USP.

Andreia dos Santos Menezes, Universidade Federal de São Paulo

Professora de Espanhol do Departamento de Letras da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Unifesp. Doutora em Língua e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana pela FFLCH-USP.

Greice de Nóbrega e Sousa, Universidade Federal de São Paulo

Professora de Espanhol do Departamento de Letras da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Unifesp. Doutoranda do Programa de Língua e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana da FFLCH-USP.

Referências

Brasil. Parâmetros Curriculares – 3º e 4º Ciclos do Ensino Fundamental – 6ª a 9ª séries. 1998. Disponível em: http://www.cpt.com.br/pcn/pcn-parametroscurriculares-nacionais-do-6-ao-9-ano.

Brasil. Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio. 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf.

Brasil. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Volume 1: Linguagens, Código e suas Tecnologias. 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_01_internet.pdf.

Buzato, Marcelo El Khouri. “Letramentos Digitais e Formação de Professores”. In: Anais do III Congresso Ibero-Americano Educarede. São Paulo: CENPEC, 2006, 81-86.

Buzato, Marcelo El Khouri. “Letramento e inclusão: do Estado Nação a era das TIC”. In: Revista DELTA [online], vol.25, n.1. Sao Paulo: jan-jun/2009, 01-38.

Dewey, John. Experience and Education. New York: Collier Books. 1938/1963.

Foglia, Graciela; Martin, Ivan; Gutierrez Bottaro, Silvia Etel. “Entre a dor e a delícia: a implantação do curso de Letras/Espanhol na Universidade Federal de São Paulo”. Revista Eletrônica do Geppele – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Práticas de Ensino e Formação de Professores de Língua Espanhola, Ano 01 – Vol. I – Edição Nº 2, Fortaleza: nov. 2013/mai. 2014, 48-63.

Freire, Maximina Maria. “Formação tecnológica de professores: problematizando, refletindo, buscando...”. In: Soto, Ucy; Mayrink, Monica Ferreira; Gregolin, Isadora Valencise. Linguagem, educação e virtualidade: experiências e reflexões. São Paulo: Editora Unesp – Cultura Acadêmica, 2009.

Freire, Paulo. Conscientização: Teoria e prática da libertação – uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Editora Moraes, 1980.

Freire, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

Kenski, Vani Moneira. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Editora Papirus, 2012.

Leffa, Vilson J. “Interação virtual versus interação face a face: o jogo de presenças e ausências”. In: Congresso Internacional de Linguagem e Interação. São Leopoldo: Unisinos, agosto de 2005.

Masetto, Marcos Tarciso. Mediação Pedagógica e o uso da Tecnologia. In: Moran, Jose Manuel; Masetto, Marcos Tarciso; Behrens, Marilda Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2012.

Oliveira, Rosangela A. Dantas de. “Reflexiones acerca de la formación docente en la carrera de Letras – Español de la Unifesp – campus Guarulhos/SP”. Actas del VIII Congreso Iberoamericano de Docencia Universitaria y de Nivel Superior. Rosario: Facultad de Humanidades y Artes (UNR), 2014, 673-680. Disponível em: http://www.fhumyar.unr.edu.ar/AIDU/LIBRO%20DE%20ACTAS%20

CONGRESO.pdf.

Serrani, Silvana. Discurso e cultura na aula de língua. Campinas: Pontes, 2005.

Schon, Donald A. The theories of inquiry: Dewey’s legacy to education. Curriculum Inquiry. v.22:2, p. 119-139, 1992.

Downloads

Publicado

2017-03-31

Como Citar

OLIVEIRA, R. A. D. de; MENEZES, A. dos S.; SOUSA, G. de N. e. TDIC e formação docente: ampliação da sala de aula, consciência crítica e autonomia. Caracol, [S. l.], n. 13, p. 102-134, 2017. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v0i13p102-134. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/122597. Acesso em: 7 dez. 2021.