A construção discursiva de textos jornalísticos na abordagem do “panelaço” brasileiro e do “cacerolazo” argentino

Autores

  • Priscila da Silva Marinho Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.i21p1164-1194

Palavras-chave:

Análise de Discurso, Manifestações, Cacerolazo argentino e panelaço brasileiro, Discurso jornalístico

Resumo

Este artigo apresenta uma análise discursiva referente à abordagem jornalística de manifestações sociopolíticas conhecidas como “panelaço”, no Brasil, durante o governo de Dilma Rousseff em 2015 e “cacerolazo”, na Argentina, durante o governo de Cristina Kirchner em 2013. Tal análise de reportagens jornalísticas faz parte de nossa pesquisa de doutorado cujo titulo é “A perspectiva discursiva na formação de professores: análise de produções escritas de licenciandos de Letras Português/Espanhol sobre o cacerolazo argentino e o panelaço brasileiro”, que se encontra atualmente em desenvolvimento. Adotando a Análise de Discurso de linha francesa (Pêcheux, Foucault) como arcabouço teórico-metodológico entendemos que não há discurso neutro e/ou transparente e, desta forma, todo discurso é um ato político. No que tange à análise jornalística, exibimos duas reportagens: uma de um periódico argentino (Clarin) e uma de um brasileiro (Folha de São Paulo), observando de que maneira as estratégias de seleção e argumentação jornalisticas conduzem a determinados efeitos de sentidos. Para tanto, nos apropriamos de variados conceitos estudados comumente em Análise de Discurso, tais como: condições de produção, formações discursivas, intradiscurso, interdiscurso e memória discursiva. Sendo assim, defendemos que a maneira que cada jornal recria as manifestações desvela suas inscrições sócio-históricas, bem como seus posicionamentos ideológicos, emergindo assim diversas e contraditórias formações discursivas (Foucault, 2014 [1969]; Serrani, 1997) que conduzem os leitores a determinados efeitos de sentidos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscila da Silva Marinho, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Priscila Marinho é graduada em Letras (Português-Espanhol) e mestra em Letras Neolatinas (Espanhol) pelo PPG em Letras Neolatinas (PPGLEN), ambos pela UFRJ. Atualmente é doutoranda pelo mesmo PPG e seu projeto de pesquisa intitula-se “A perspectiva discursiva na formação de professores: análise de produções escritas de licenciandos de Letras Português/Espanhol sobre o cacerolazo argentino e o panelaço brasileiro”.

Referências

Castro, Edgardo. Vocabulário de Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

Colombo, Lucélia; Martelli, Carla. “O panelaço em perspectiva comparada: análise do fenômeno no Brasil e na Argentina”. In: Anais do 39º Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, MG, 2015.

Dela Silva, Silmara. “Discurso, mídia e educação: da (não) obviedade de sentidos”. In: Mariani, Bethania; Medeiros, Vanise. (Orgs). Discurso e...: ideologia, inconsciente, memória, desejo, movimentos sociais, cinismo, corpo, witz, rede eletrônica, língua materna, poesia, cultura, mídia, educação, tempo, (homo) sexualidade. Rio de Janeiro: 7Letras/ Faperj, 2012, 179-198.

Foucault, Michel. A arqueologia do saber [1969]. 8ª ed., Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

Gohn, Maria da Glória. “Manifestações de protesto nas ruas no Brasil a partir de Junho de 2013: novíssimos sujeitos em cena”. In: Diálogo Educacional, PUCPR, Curitiba, v. 16, n.47, 2016, 125-146.

Gold, Tomás. Cacerolazos y legitimidad política en la Argentina reciente. Del ‘13-S’ al ‘8-A’”. In: Annunziata, Rocío. (org). Pensar las elecciones: democracia, líderes y ciudadanos, 1a ed, Buenos Aires: Departamento de Publicaciones de la Facultad de Derecho y Ciencias Sociales de la Universidad de Buenos Aires, 2015.

Hardt, Michael; Negri, Antonio. Império. Rio de Janeiro: Record, 2ª ed., 2001.

Hardt, Michael. Multidão – Guerra e democracia na era do império. Rio de Janeiro: Record, 2005.

Lapolia Cantoni, Stefania. Participação política não eleitoral na Argentina e no Brasil: (O que) mudou nas últimas décadas? Dissertação de mestrado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

Mariani, Bethania. O comunismo imaginário: práticas discursivas da imprensa sobre o PCB (1922-1989). Tese de Doutorado. Pós-Graduação em Linguística. Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), São Paulo, 1996.

Mariani, Bethania. “O político, o institucional e o pedagógico: quanto vale a língua que ensinamos?”. In: Matraga, n.38, v. 23, Rio de Janeiro: jan/jun. 2016, 43-63.

Orlandi, Eni. Análise de discurso: princípios & procedimentos. São Paulo: Ponte, 2000.

Serrani, Silvana. Discurso e cultura na aula de língua. Exemplos em português, espanhol e inglês. 2ª edição. São Paulo: Pontes, 2010.

Sites jornalísticos consultados:

Clarín. Vicente López. Disponível em: https://www.clarin.com/tema/vicente-lopez.html. Acesso 20 jan. 21.

Folha de São Paulo. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br. Acesso 20 jan. 21.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

MARINHO, P. da S. A construção discursiva de textos jornalísticos na abordagem do “panelaço” brasileiro e do “cacerolazo” argentino. Caracol, [S. l.], n. 21, p. 1172-1203, 2021. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.i21p1164-1194. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/170536. Acesso em: 21 set. 2021.