Levrero, Mario. O romance luminoso. Tradução de Antônio Xerxenesky. São Paulo: Companhia das Letras, 2018, 645 p.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.i21p1222-1230

Palavras-chave:

Mario Levrero, Literatura uruguaia, Fantasia, Sublimação, Melancolia

Resumo

Objetivamos, nesta resenha crítica, interpretar O romance luminoso, de Mario Levrero, por meio, principalmente, das dualidades pulsionais entre a melancolia e a vontade de viver do protagonista. Dentro dos ciclos de profunda tristeza de Mario, movimentados ao sabor da fragmentária escrita diarística, encontramos processos de proteção do eu, sobretudo em uma espécie de mania-sublimatória, integrada ao veio fantasioso do escritor, que o anima a enxergar o porvir. Para isso, fizemos uso de reflexões teóricas de Marcello Duarte Mathias (1997) acerca do gênero diário e nos embasamos em noções, advindas da psicanálise, de Sigmund Freud (2019) e Joel Birman (2008) sobre a melancolia e a sublimação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Barbosa Rudge Furtado, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Alcançou o título de Mestre em Estudos Literários na Unesp, no ano de 2017, com a dissertação Rememoração em Graciliano Ramos: do romance à autobiografia. Possuiu, e ainda possui, financiamento da Capes. Está cursando o doutorado na mesma instituição. Especialista em crítica da narrativa e teoria literária. Concentra-se no estudo da Literatura Brasileira, principalmente na prosa do decênio de 30 e da literatura contemporânea mediante a noção de crítica integradora. É autor de artigos que versam sobre Graciliano Ramos e Jorge de Lima, além de trabalhos teórico-críticos, principalmente. Publicou, ainda, resenha literárias em revistas acadêmicas e escritos em anais de congressos. Participa de dois grupos de pesquisa: GEN (Grupo de Estudos da Narrativa) e Diálogos Literários e é, atualmente, professor substituto de "Críticas Literárias" no curso de Letras da UNESP de Araraquara.

Referências

BIRMAN, Joel. Criatividade e sublimação em Psicanálise. Psicologia Clínica. Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, 2008. p. 11-26.

FREUD, Sigmund. Luto e melancolia. In: ______. Neurose, psicose, perversão. Tradução de Maria Rita Salzano Moraes. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019. p. 99-121.

LEVRERO, Mario. O romance luminoso. Tradução de Antônio Xerxenesky. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

MATHIAS, Marcello Duarte. Autobiografias e diários. Colóquio: Revista de Artes e Letras. Lisboa, n. 143-144, 1997, p. 41-62.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

FURTADO, P. B. R. Levrero, Mario. O romance luminoso. Tradução de Antônio Xerxenesky. São Paulo: Companhia das Letras, 2018, 645 p. Caracol, [S. l.], n. 21, p. 1230-1238, 2021. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.i21p1222-1230. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/172994. Acesso em: 21 set. 2021.