Brasil e Chile: uma história comparada de golpes, autoritarismo e democracia

Autores

  • Alberto Aggio Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.i23p70-91

Palavras-chave:

Brasil, Chile, História política comparada, Autoritarismo, Democracia

Resumo

Resumo: O artigo realiza uma análise comparativa da história política do Brasil e do Chile a partir do momento em que ambos os países sofreram rupturas da ordem constitucional democrática, no Brasil, em 1964 e no Chile, em 1973. Inicia com uma discussão a respeito da utilização da comparação nos estudos de história política para definir os parâmetros que orientam a análise comparativa proposta. Apresenta um quadro interpretativo a respeito das conjunturas que precederam os golpes de Estado e, em seguida, discorre sobre as principais características dos regimes autoritários que os sucederam, analisando especialmente as transformações que foram se operando em termos econômicos, sociais e políticos. Segue com a análise dos processos de transição democrática e de seus governos, no Brasil, a partir de 1985, e, no Chile em 1990. Por fim, analisa, comparativamente, o alcance bem como os impasses de ambas as experiências democráticas. Agrega-se também um post-scriptum sobre os acontecimentos ocorridos no Chile a partir de outubro de 2019

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Aggio, Universidade Estadual Paulista

Professor Titular de História da América na Universidade Estadual Paulista. Publicou Itinerários para uma esquerda democrática (2018), Qual é a identidade e a política da cidadania? (2019), Democracia e socialismo. A experiência chilena (2002 - 2ª ed. 2021).

Referências

Aggio, A. Democracia e socialismo: a experiência chilena. São Paulo: Annablume, 2002.

Carvalho, J. M. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 2001.

Figueiredo, A. C. Democracia ou reformas? Alternativas democráticas à crise política, 1961-1964. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

Gramsci, A. Cadernos do Cárcere, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, v.1, 1999.

Huneeus, C. El Régimen de Pinochet. Santiago: Sudamericana. 2000.

Moulian, T. La forja de ilusiones – el sistema de partidos, 1932-1973. Santiago: Arcis/FLACSO, 1993.

Moulian, T. Chile Actual - anatomía de un mito. Santiago: LOM, 1997.

Rossanvallon, P. Por uma história do político. São Paulo: Alameda, 2010.

Santos, W. G. “A ‘Pós-Revolução’ Brasileira”. In: Jaguaribe, Hélio et alli. Brasil: sociedade democrática. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985.

Vacca, G. Por um novo reformismo. Brasília/Rio de Janeiro: FAP/Contraponto, 2009.

Vianna, L. W. O candidato da conciliação nacional. Presença, n. 4, São Paulo: Caetés, 1984.

Vianna, L. W. “Seis teses sobre a conjuntura da transição”. Vianna, L. W. A transição – da Constituinte à sucessão presidencial. Rio de Janeiro: Revan, p.91-103, 1989.

Vianna, L. W. “1964”. Estudos - Sociedade e Agricultura. Rio de Janeiro: UFRRJ, junho, n. 02, p. 07-10, 1994a.

Vianna, L. W. “Entre um transformismo e outro: problemas da refundação republicana”. Agenda de Políticas Públicas. Rio de Janeiro: IUPERJ, n. 05, p. 07-13, 1994b.

Vianna, L. W. “O desencontro trágico entre a fortuna e o ator na experiência brasileira”. Brasília: Política Democrática, n. 53, Ano XIX, 2019, p. 22-27.

Downloads

Publicado

2022-03-08

Como Citar

AGGIO, A. Brasil e Chile: uma história comparada de golpes, autoritarismo e democracia. Caracol, [S. l.], n. 23, p. 70-91, 2022. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.i23p70-91. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/182014. Acesso em: 8 dez. 2022.