O pertencimento destroçado (Viagem e regresso em Matilde Sánchez)

Autores

  • Gina Saraceni

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v0i3p28-45

Resumo

Este artigo propõe a leitura de uma relato de Matilde Sanchez para mostrar dois asuntos centrais. O primeiro, relacionado com a literatura como espaço onde os legados adquirem forma, se atualizam e se renovam; o segundo, referido ao regresso como experiência que cancela a possibilidade de pertencer e que exige problematizar as noções de origem e de casa. Neste sentido, o artigo revisa como funciona a economia de viagem, qual capital gera, quais perdas e ganhos, qual patrimônio e que tipo de rentabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gina Saraceni

Especialista em literatura de viagem, ficções da memória, teoria literária, poesia venezuelana contemporânea. Publicou:  La soberanía del defecto. (Legado y pertenencia en la literatura latinoameicana conteporánea (Equinoccio, 2011, en prensa); Escribir hacia atrás. Herencia, lengua, memoria (Beatriz Viterbo, Rosario, 2008); En obra. Antología de la poesía venezolana (1983-2008) (Equinoccio, 2008).

Publicado

2012-06-07

Como Citar

SARACENI, G. O pertencimento destroçado (Viagem e regresso em Matilde Sánchez). Caracol, [S. l.], n. 3, p. 28-45, 2012. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v0i3p28-45. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/57679. Acesso em: 17 out. 2021.