Três escritores vão ao cinematógrafo. Crônica jornalística e retórica da viagem em Luis Urbina, Olavo Bilac e Ramón López Velarde

Autores

  • Miriam Gárate

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v0i3p134-150

Resumo

Partindo de algumas considerações iniciais sobre o desenvolvimento da crônica, o ensaio propõe a leitura de três textos aparentados pelo recurso à retórica da viagem: “El cinematógrafo” (1896), do mexicano Luis Urbina, “Moléstia da época” (1907), do brasileiro Olavo Bilac e “En el cine” (1913), do mexicano Ramón López Velarde. As crônicas testemunham o impacto causado pelo novo espetáculo e sua percepção como viagem ilusória ao duplo do real (Urbina), como viagem acelerada e condensada por diversos espaços, tempos, culturas e âmbitos sociais (Bilac) e como viagem programada e fabricada tendo em vista a estratificação do público (López Velarde).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miriam Gárate

Licenciada em Letras pela Universidad Nacional de Rosario, Argentina. Mestre, Doutora e Livre-docente em Letras pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil, instituição na qual atua como docente do Departamento de Teoria Literária. Vem pesquisando nos últimos anos a relação entre o campo letrado e o espetáculo cinematográfico silente na América Latina em suas diversas manifestações, com especial ênfase no corpus constituído por crônicas jornalísticas e pela prosa de ficção. Autora de diversos ensaios sobre o tema incluídos em livros e revistas, publicados no Brasil e no exterior.

Downloads

Publicado

2012-06-07

Como Citar

GÁRATE, M. Três escritores vão ao cinematógrafo. Crônica jornalística e retórica da viagem em Luis Urbina, Olavo Bilac e Ramón López Velarde. Caracol, [S. l.], n. 3, p. 134-150, 2012. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v0i3p134-150. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/57685. Acesso em: 17 out. 2021.