A língua franca das antologias: entre a identidade e os pormenores de uma prática material

Autores

  • Ana Porrúa

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v1i5p86-106

Resumo

Uma antologia sempre expõe ou encobre o gesto de criação de uma língua franca, enquanto idioma comum. Propomos revisar alguns modos históricos de construção desta língua em antologias de poesia hispânica, hispano-americana ou argentina: aquelas onde se lê a armação de um conjunto espanhol-latino-americano desde poéticas diversas e se põe em jogo a questão das hierarquias e da paternidade, inclusive idiomática; aquelas em que se exerce uma tração sobre o diverso, apagando ou evidenciando o elemento de instabilidade. A abordagem desta língua franca vai se fazer a partir das noções de suporte e quatro, desde as quais Foucault pensar as distintas ordens ou taxonomias, situando-nos no espaço intermediário da justaposição, no limite da montagem de vozes que vai desenhando o contínuo ou deixa descoberta a mais pura diferencia, a heterogeneidade que põe em crise as hierarquias (James Clifford).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-06-20

Como Citar

PORRÚA, A. A língua franca das antologias: entre a identidade e os pormenores de uma prática material. Caracol, [S. l.], v. 1, n. 5, p. 86-106, 2013. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v1i5p86-106. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/69366. Acesso em: 22 out. 2021.