Poesia do Cone Sul hispano-americano: capital simbólico e representação em antologias do Brasil e Itália

Autores

  • Silvana Serrani
  • Stefano Tedeschi

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v1i5p108-139

Resumo

A contradição básica entre o lacunar e o pletórico de toda antologia produz conseqüências para a leitura, o cânon, a disputa de capitais simbólicos e a memória literário-cultural, entre outros domínios. A partir das premissas bakhtinianas para o enfoque do gênero, neste trabalho analisamos a representação da poesia do Cone Sul para os púbicos brasileiros e italiano, nas antologias de poesia hispano-americana de Thiago de Mello (2011) e Martha Canfield (2004), respectivamente. Examinamos a estrutura composicional das recompilações, a seleção, seu paratexto e estilo discursivo, assim como as temáticas e poéticas representadas. Nas conclusões nos detemos a aproximações destas obras, editadas em países latinos não-hispânicos, com a finalidade de indicar perspectivas e desafios sobre a inclusão de poetas recentes, tradução cultural, diálogos intersemióticos e pluralidade cultural intraregional hispano-americana, em futuros projetos antológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-06-20

Como Citar

SERRANI, S.; TEDESCHI, S. Poesia do Cone Sul hispano-americano: capital simbólico e representação em antologias do Brasil e Itália. Caracol, [S. l.], v. 1, n. 5, p. 108-139, 2013. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v1i5p108-139. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/69461. Acesso em: 23 out. 2021.