Aventuras que fecham feridas: o caminho até o matrimônio

Autores

  • María de los Ángeles González Briz

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v1i6p80-101

Resumo

La Gitanilla”, “La ilustre fregona, Las dos doncellas” e “La fuerza de la sangre” problematizam, por um lado, a relação entre nobreza e virtude natural; por outro, a legitimação da honra feminina e a defesa de sua restauração em caso de mácula. As garotas lançam mão de ricas estratégias – silêncios, encobrimentos, travessias, enganos e disfarces – para compensar o despojo que deu lugar à aventura, pondo em jogo uma identidade que deve ser restaurada. O caminho até a boda pode se ler como um simbolismo universal, como o sorteio de uma série de provas que implicam o controle sobre as paixões, de modo a alcançar o domínio de si e representar o doloroso trânsito da juventude a maturidade. Neste sentido, as novelas poderiam ser exemplares enquanto metáfora do caminho percorrido que toda pessoa deve fazer para chegar a ser quem é, como nos contos de fadas. Alcançar estado matrimonial é prêmio e signo de maturidade, fim da etapa de busca da identidade e das provas, superação do lugar de filho (o lugar do risco, a liberdade e a aventura) e aceitação do lugar de pai (o lugar da responsabilidade). Ao mesmo tempo que coroa o senhorio de si, o processo põe fim à independência feminina que existe na solteirice.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-12-21

Como Citar

GONZÁLEZ BRIZ, M. de los Ángeles. Aventuras que fecham feridas: o caminho até o matrimônio. Caracol, [S. l.], v. 1, n. 6, p. 80-101, 2013. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v1i6p80-101. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/75146. Acesso em: 15 jun. 2021.