[1]
G. Saraceni, “O pertencimento destroçado (Viagem e regresso em Matilde Sánchez)”, Caracol (São Paulo), nº 3, p. 28-45, jun. 2012.