Notas sobre o conceito de coisas indiferentes na carta de John Locke

Autores

  • Antonio Carlos dos Santos Mykael Morais Viana

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v1i30p127-142

Palavras-chave:

Tolerância – Religião − Política.

Resumo

O presente texto pretende traçar algumas notas sobre o conceito de coisas indiferentes na Carta acerca da tolerância, de John Locke. Ele está dividido em dois momentos: no primeiro, abordaremos a distinção entre Estado e Religião, mostrando que a natureza, a origem e o objetivo de cada uma é diferente da outra. Além disso, procura-se mostrar como a confusão entre elas faz com que a sociedade se divida, perdendo força, e como os líderes políticos passam a buscar na Religião o caminho para chegar ao poder; no segundo momento, analisaremos a crítica de Locke àqueles que buscam a Religião para chegar ao poder. Para Locke esse caminho deve ser evitado a todo custo. Por conta disso, Locke desenvolve um critério de distinção entre o que deve e o que não deve ser legislado pelo poder público, surgindo aqui o conceito de coisas indiferentes. Com essas duas partes, esperamos contribuir para o avanço dos estudos sobre Locke, de modo particular, os da tolerância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-10-02

Como Citar

Mykael Morais Viana, A. C. dos S. (2017). Notas sobre o conceito de coisas indiferentes na carta de John Locke. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 1(30), 127-142. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v1i30p127-142

Edição

Seção

Artigos