O dispositivo da veste e a cesura entre ser e práxis: pensando um poder não fazer

Autores

  • Eduardo Tergolina Teixeira Doutorando em filosofia pela UNISINOS

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v1i30p52-74

Palavras-chave:

veste, nudez, dispositivo, profanação, potência-de-não

Resumo

O presente artigo tem por alvo discutir a questão da veste a partir da teoria de Giorgio Agamben. É exposta, em um primeiro momento, a concepção de potência, trazida pelo filósofo italiano dos ensinamentos aristotélicos, apresentando-se, em seguida, a constatação agambeniana sobre a cesura entre ser e práxis. As noções de dispositivo e de oikonomia são trazidas na sequência, a fim de pavimentar o terreno à análise do específico dispositivo veste-nudez, analisado em seguida. Expõem-se, então, algumas ideias críticas a esse respeito, finalizando-se o trabalho com o aporte da categoria da profanação. Resta como pano de fundo a análise da fratura entre a vida e forma, entre ser e sua obra, e a necessidade da preservação da característica por excelência da humanidade: a potência-de-não.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. A comunidade que vem. Tradução de Cláudio Oliveira. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

______. Altíssima Pobreza. Tradução de Selvino Assmann. São Paulo: Boitempo, 2014.

______. Bartleby, ou da contingência. Tradução de Vinicius Honesko. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

______. Estado de exceção. Tradução de Iraci D. Poleti, 2ª. ed., São Paulo: Boitempo, 2007.

______. Homo Sacer: O poder soberano e a vida nua I. Tradução de Henrique Burigo. 2ª. ed., Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

______. La potenza del pensiero. Vicenza: Neri Pozza, 2005.

______. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2010.

______. O Reino e a Glória. Tradução de Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2011.

______. Profanações. Tradução de Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2007.

______. Nudez. Tradução de Miguel Serras Pereira. Lisboa: Relógio D’Água, 2009.

______. Conferência na UNSAM. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=_lc3kcJzYbs>, acessado em 31 de julho de 2015.

______. http://blogdaboitempo.com.br/2014/12/08/agamben-o-fascinio-discreto-de-poncio-pilatos/, acessado em 31 de julho de 2015.

BÍBLIA SAGRADA. Disponível em https://www.bibliaonline.com.br/, acessado em 3 de agosto de 2015.

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

CASTRO, Edgardo. Introdução a Giorgio Agamben. Uma arqueologia da potência. Tradução de Beatriz de Almeida Magalhães. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

______. In https://www.youtube.com/watch?v=_lc3kcJzYbs, acessado em 31 de julho de 2015.

COSTA, Flavia. “Entrevista com Giorgio Agamben”. Tradução de Susana Scramim. Revista do Departamento de Psicologia da UFF, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 131-136, jan/jul. 2006. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-80232006000100011, acessado em 31.7.2015.

ESPOSITO, Roberto. Communitas. Buenos Aires: Amorrortu, 2007.

FREUD, Sigmund. A Interpretação dos Sonhos. Vol. V. Disponível em http://www.psicanaliseflorianopolis.com/artigos/147-obras-completas-de-sigmund-freud.html, acessado em 3 de agosto de 2015.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. Tradução de Maria Lucia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

MELVILLE, Herman. Bartleby O Escrevente. Tradução de Bruno Gambarotto. São Paulo: Grua. 2014.

NASCIMENTO, Daniel Arruda. Do fim da experiência ao fim do jurídico: percurso de Giorgio Agamben. São Paulo: LiberArs, 2012.

RUIZ, Castor M. M. Bartolomé. “A exceção jurídica e a vida humana. Cruzamentos e rupturas entre Schmitt e Benjamin”. Cadernos IHU. Ano 10, n° 39. São Leopoldo: Unisinos. 2012.

Outros endereços eletrônicos consultados e acessados em 3 de agosto de 2015:

https://www.youtube.com/watch?v=ArOnJCMriyI

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:CaravaggioEcceHomo.jpg

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:Ecce-homo_Mantegna.jpg

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:Munk%C3%A1csy_Ecce_Homo_part.JPG

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:Ecce_homo_by_Antonio_Ciseri_(1).jpg

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:Ecce_homo_by_Hieronymus_Bosch.jpg

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:Janssens_Ecce_Homo.jpg

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:Eccehomo.jpg

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:Tintoretto_-_ecce_homo_masp.JPG

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:Quentin_Massys-Ecce_Homo-1520,Doge%27s_Palace,Venice.jpg

https://en.wikipedia.org/wiki/Ecce_homo#/media/File:CigoliEcceHomo.jpg.

http://oglobo.globo.com/ela/moda/novo-primeiro-ministro-grego-abre-mao-da-gravata-lanca-moda-entre-os-politicos-16948727

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/01/1581007-che-grego-novo-primeiro-ministro-dispensa-gravata-e-biblia.shtml

http://expresso.sapo.pt/internacional/renzi-que-deu-uma-gravata-a-tsipras-acredita-em-acordo-europa--grecia=f909256

http://www.dailymail.co.uk/news/article-2936484/The-laidback-approach-Greece-s-new-Essex-educated-finance-minister-arrives-talks-George-Osborne-leather-jacket-minus-tie.html

http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/greece/11385560/From-Yanis-Varoufakis-leather-jacket-to-Berlusconis-bandana-the-most-radically-dressed-politicians.html

http://www.theguardian.com/commentisfree/2015/feb/03/greece-finance-minister-yanis-varoufakis-normal-person

http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/?p=6836

Downloads

Publicado

2021-08-17

Como Citar

Teixeira, E. T. (2021). O dispositivo da veste e a cesura entre ser e práxis: pensando um poder não fazer. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 1(30), 52-74. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v1i30p52-74

Edição

Seção

Artigos