Linguagem e política

Rousseau, leitor de Charles Duclos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v1i34p143-152

Palavras-chave:

J.-J. Rousseau, Charles Duclos, Linguagem, Política

Resumo

A partir da leitura do Ensaio sobre a origem das línguas e do fragmento intitulado Pronúncia, pode-se dizer que, sob a ótica rousseauniana, o progressivo aperfeiçoamento da escrita e sua consequente proeminência sobre a voz plena são, talvez, os efeitos mais destacados do processo de degradação histórica das línguas. Mas a escrita só se constitui como um mal linguístico na medida em que ela reflete uma corrupção da esfera política. Com efeito, ao substituir a potência expressiva da voz acentuada por clareza e exatidão, a escrita modifica o próprio caráter da língua, deixando-a menos sonora e eloquente. Assim, a escrita retira da língua seu gênio retórico, sua capacidade de comover um auditório e levá-lo à ação, o que só pode se dar numa conjuntura política em que a força se impõe sobre a persuasão no tocante à condução dos negócios públicos. Ou seja, num cenário em que os súditos perderam sua liberdade, em que a participação política lhes é negada. O objetivo de nosso trabalho será não apenas reconstruir o percurso argumentativo que leva Rousseau a essas conclusões, mas também mostrar como as linhas mestras dessa argumentação já se encontram dispostas nas Remarques sur la Grammaire Générale et Raisonnée (1754), de Charles Pinot-Duclos – uma das principais fontes do Ensaio, sobretudo no que concerne à questão da escrita e às relações entre linguagem e política. Dentre outros pontos, caberá demonstrar a influência do escritor e historiador francês sobre Rousseau relativamente à associação entre primazia da escrita e perda da liberdade política e à contraposição entre a linguagem dos antigos – forte, prosódica e, por isso, adequada à vida cívica – e as modernas línguas europeias – monótonas, surdas, próprias senão para conversas privadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Mello Carvalho Ribeiro, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando e Professor substituto pelo Departamento de Filosofia da UFMG

Referências

Dictionnaire de l’Académie Française, 1762. Disponível on-line em: http://artflproject.uchicago.edu/node/17

BECKER, Evaldo. Política e linguagem em Rousseau. São Paulo: USP, 2008. Tese (Doutorado em Filosofia; Orientador: Milton Meira do Nascimento).

DUCLOS, Charles Pinot-. “Remarques sur la Grammaire Générale et Raisonnée”. In: Oeuvres de Duclos, vol. I. Paris: A. Benin, 1821.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Trad. Miriam Chnaiderman e Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 2006.

GROSRICHARD, Alain. “Gravité de Rousseau”. In: Les Cahiers Pour L’Analyse, n. 8 (“L’impensé de Jean-Jacques Rousseau”), Paris, 1967.

GUYOT, Charles. “Notes et variantes”. In: ROUSSEAU, Jean-Jacques. Oeuvres Complètes, vol. II. Paris: Gallimard (Bibliothèque de la Pléiade), 1964.

MARX, Karl. “Der achtzehnte Brumaire des Louis Bonaparte”. In: ______ & ENGELS, Friedrich. Werke, Band 8. Berlin/DDR: Dietz Verlag, 1960.

MATTOS, Franklin de. “Apresentação”. In: PRADO JR., Bento. A retórica de Rousseau e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

PRADO JR., Bento. A retórica de Rousseau e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. “Les Confessions”. In: Oeuvres Complètes, vol. I. Paris: Gallimard (Bibliothèque de la Pléiade), 1959.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. “Sur l’éloquence”. In: Oeuvres Complètes, vol. II. Paris: Gallimard (Bibliothèque de la Pléiade), 1964.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. “Prononciation”. In: Oeuvres Complètes, vol. II. Paris: Gallimard (Bibliothèque de la Pléiade), 1964.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. “Discours sur l’origine et les fondements de l’inégalité parmi les hommes”. In: Oeuvres Complètes, vol. III. Paris: Gallimard (Bibliothèque de la Pléiade), 1964.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. “Essai sur l’origine des langues”. In: Oeuvres Complètes, vol. V. Paris: Gallimard (Bibliothèque de la Pléiade), 1995.

STAROBINSKI, Jean. Jean-Jacques Rousseau: a transparência e o obstáculo. Trad. Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das letras, 1991.

Downloads

Publicado

2019-06-25

Como Citar

Ribeiro, L. M. C. (2019). Linguagem e política: Rousseau, leitor de Charles Duclos. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 1(34), 143-152. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v1i34p143-152

Edição

Seção

Artigos